O que está buscando?
Portal Educa    MEU SESI - Entrar

Alunos e professores do Sesi São Bernardo produzem jornal e fortalecem a integração entre família e escola

Os conteúdos jornalísticos são produzidos por estudantes do 5º do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio

 Por: Elaine Casimiro, Sesi São Bernardo
13/12/202216:08- atualizado às 16:09 em 13/12/2022


Eles entrevistam, escrevem, fazem reuniões de pautas sempre com olhares atentos e curiosos sobre o que é notícia. Diagramam o jornal, separam cuidadosamente cada exemplar e distribuem nas reuniões de pais com todo orgulho. Assim é a rotina da redação do JJ – Jornal Jovem, projeto idealizado pelos alunos do Ensino Médio e a professora Ilvanita de Sousa Barbosa em 2021. A repercussão da primeira edição foi tão positiva, que meses depois os alunos do Ensino Fundamental passaram a integrar a equipe de jornalistas mirins junto com o professor Thiago Henrique da Silva.

O Jornal Jovem já chega na sua quarta edição destacando a produção do texto jornalístico como instrumento pedagógico. “O jornal contribui para que haja integração multisseriada, um aprende com o outro. São alunos a partir do 5º ano trabalhando com alunos do Ensino Médio, formando um agrupamento produtivo dentro da rede Sesi, cujo o maior objetivo é aprimorar essa comunicação interna entre os vários segmentos educacionais que nós temos na escola”, explicou Ilvanita.

O professor Thiago percebe a evolução, tanto no aspecto cognitivo quanto social dos alunos envolvidos no projeto. “Eles colocam em prática os saberes adquiridos e partilhados em cada aula através das matérias por eles elaboradas e produzidas, além de ampliarem suas formas de comunicação e dilalogicidade com os diversos núcleos através das entrevistas”, enfatiza.

As notícias relatam a rotina escolar, assim como assuntos gerais e produções autorais, como poema e crônica. Segundo a professora Ilva, como é chamada na redação, os conteúdos cumprem a função de engajar os alunos para criatividade.

“Dividimos os cadernos do jornal para organizar melhor as áreas do conhecimento. Por exemplo, na editoria ‘Você tem fome de quê’ aborda temas relacionadas à alimentação, a horta da escola, cuidados com a saúde, corpo e mente. Para contemplar os produtos pedagógicos que são os eventos institucionais, lançamos a seção ‘Por um mundo melhor’. Já na editoria ‘Aqui se aprende, Aqui se ensina’ são os projetos pedagógicos que a escola desenvolve em cada segmento de estudo e a seção ‘O Sesi e você” é mostrar qual a relação da família com o Sesi”, disse a professora que também citou os cadernos de cultura e esporte contemplados em todas edições.

Na editoria ‘Mexa-se’, o time de redatores mirins do esporte conta com os estudantes Daniel Barbosa da Silva, 5º ano; Ana Beatriz Vasconcelos, 6º ano e Heitor Henrique Rabelo, 1º ano do Ensino Médio. “Em todas as editorias há um líder que passa todas as propostas de pautas discutidas nas reuniões de pauta, seguimos os temas de acordo com o que acontece no esporte. Eu faço parte da equipe de treinamento de base da natação e gosto muito de escrever sobre a modalidade. É muito importante para mim relatar as conquistas dos meus amigos e dos atletas da categoria sênior porque as histórias servem como inspiração”, garante Heitor.

A aluna do 5º ano, Clara Marques Isidoro, escreve para o caderno ‘Tudo Nosso’. Ela tem a missão de buscar personagens e contar quais são os talentos, valorizando o dom de cada um. “A nossa equipe aborda algumas pessoas e faz uma entrevista com elas para saber quais habilidades elas têm, seja na música, poema, desenho”, conta Clara.

Assim como alma do jornalismo é contar história, apresentá-la de forma atrativa para o leitor passa pelas mãos da diagramação que cuida de todo planejamento visual, deixando texto e imagem em perfeita harmonia.

“Tudo foi muito planejado com muito carinho, desde as cores, o tipo de fonte, a forma de diagramar cada página. Eu tenho um apego enorme por esse jornal. Quando conquistamos essa sala para fazer nossa redação foi uma festa”, relembra a aluna Ana Luiza dos Santos, do 3º ano do Ensino Médio.

“É muito maravilhoso participar desse projeto, acompanhar cada etapa e ver como ele vai evoluindo, passando por todos os desafios. A cada edição conseguimos aperfeiçoar”, conta aluna Isabella Doretto, 3º ano do Ensino Médio, que integra a equipe de diagramação desde a primeira edição e está passando o ‘bastão’ para o amigo Heitor Deganello, 2ª ano.

Nesta terça-feira (13) será entregue a quarta edição do jornal para toda comunidade escolar. Muitos concluintes do Ensino Médio já estão sentindo saudade e os professores planejam as próximas edições em 2023.

“Os próximos passos serão, certamente, acolher novos estudantes dispostos a integrar o JJ, além de incentivar a participação deles neste projeto, pois os alunos dos 3º anos do Ensino Médio estão encerrando o ciclo deles conosco. Entendo como prioridade estimulá-los a tratar de pautas ainda mais importantes e que causem boas reflexões em toda nossa comunidade escolar, fortalecendo a parceria da escola com as famílias e os envolvendo em todo o processo”, explica Thiago.

Sem dúvida, o sentimento de pertencimento entre os alunos e professores é muito forte. Foi unânime ouvir de cada estudante com orgulho “Eu sou do jornal da escola”.

“O que deixa meu coração de professora alegre é ver o êxito dos meus alunos em quaisquer atividades que eles fazem, seja na escrita de uma redação, a atuação em uma peça de teatro, uma leitura, um comentário assertivo que ele faz de um livro. Então, quando o estudante se engaja em um projeto dessa envergadura que é o jornal da escola, a edição impressa e começo a ler os nomes dos alunos, isso emociona muito. Faz acreditar que tenho ainda muitos anos nessa missão de motivar os estudantes nessa educação de qualidade, excelência e aprendizagem mais assertiva e significativa para eles”, declara a professora com os olhos marejados e um sorriso no rosto.

Leia também