O que está buscando?
Portal Educa    MEU SESI - Entrar

21ª edição do Dança em Trânsito chega ao Centro Cultural Fiesp com 13 espetáculos de companhias nacionais e internacionais

Depois de passar pela República Tcheca, numa parceria com o Festival Tanec Praga, o evento está realizando a tradicional itinerância nacional, entre 10 de julho e 14 de outubro, por vários estados.

Depois de passar pela República Tcheca, numa parceria com o Festival Tanec Praga, o evento está realizando a tradicional itinerância nacional, entre 10 de julho e 14 de outubro, por vários estados.

 Por: Mariana Soares, comunicação Sesi-SP
08/08/202314:33- atualizado às 15:17 em 18/08/2023

 

Em sua 21ª edição, o Dança em Trânsito, um dos maiores e mais abrangentes festivais internacionais de dança contemporânea do país, cresceu ainda mais e chega ao Centro Cultural Fiesp nos dias 15 e 16 de agosto, em sua tradicional itinerância pelo país, iniciada em 10 julho e que este ano passa por 33 cidades, divididas em três circuitos espalhados pelas cinco regiões do país, até 14 de outubro. A ampla programação inclui espetáculos, oficinas e residências que envolvem 25 companhias nacionais e internacionais, em teatros e espaços públicos, por 5 regiões, 13 estados e 33 cidades de norte a sul do Brasil – e no exterior em 5 cidades estrangeiras.

O evento chega na capital paulista depois de passar pela República Tcheca em junho, numa parceria com o Festival Tanec Praga. Serão 13 espetáculo entre os dias 15 e 16 de agosto em vários espaços do Centro Cultural Fiesp – Esplanada, Foyer, Espaço Café e Mezanino, além do Teatro.

 

OS 13 ESPETÁCULOS

 

Entre os destaques, estão dois espetáculos que encerram a programação dos dois dias:  CAFÉ NÃO É SÓ UMA XÍCARA, com o Grupo Tápias (dia 15, às 19h30), com coreografia e direção artística de Flávia Tápias, espetáculo de dança contemporânea inspirado na obra fotográfica de Sebastião Salgado. No dia 16 está programada a apresentação do SOLO GOLDBERG VARIATIONS, com o Virgilio Sieni Dance Company (Firenze, Itália). Virgilio Sieni dança ao som do piano de Andrea Rebaudengo na interpretação de As Variações Goldberg - J. S. BACH.

 


Grupo Tápias [Brasil e França]

 

A programação do dia 15 conta com os espetáculos OXYMORE (dia 15, 17h25, no Espaço Café), com Cie Felinae - Maxime Cozic (Toulon, França); SCOTOMA (dia 15, 17h55, no Mezanino), com Clémentine & Lisard (Barcelona, Espanha); INVISIBLE TRACES (dia 15, 18h20, no Mezanino), com Yana Reutova & coll (Ucrânia, República Tcheca); LA MEDIDA QUE NOS HÁ DE DIVIDIR (dia 15, 18h45, no Foyer), com Compañia Qabalum (Pamplona, Espanha); Coreografia de Maxime Cozic (dia 15, 19h10, no Foyer), com Cie Felinae (Toulon, França), em trabalho criado para artistas profissionais de São Paulo (Ruan de Oliveira Trindade, Lucas Rodrigues Pardin, Emerson Silva Oliveira, Bruno de Almeida Gregorio).  

 

O segundo dia abre com UMBIGO DO SONHO (dia 16, 17h, na Esplanada), com Fábio Costa (Brumadinho, MG); SONORA (dia 16, 17h25, na Esplanada), com Companhia La Intrusa - Damian Muñoz e Virgínia Garcia (Barcelona, Espanha), Coreografia de Damian Munõz e Virginia Garcia (dia 16, 17h55 no Espaço Café); NIHIL OBSTAT (dia 16, 18h15, no Mezanino), com Jorge Garcia (São Paulo, SP), e ZERO (dia 16, 18h45, no Foyer), com Company SIGA (Seul, Coreia do Sul).

 

25 cias brasileiras e estrangeiras

 

Ao todo, 25 companhias e artistas do Brasil e da Bélgica, Coreia do Sul, Eslovênia, Espanha, França, Itália, República Tcheca, Ucrânia e Uruguai ocupam palcos e espaços públicos de 11 capitais brasileiras e 22 outras cidades com espetáculos e uma série de ações para a difusão e democratização da dança, que incluem três tipos de residências artísticas – para profissionais com circulação e para amadores para apresentações nas cidades; intercâmbios e valorização do folclore e cultura brasileira; formação e geração de emprego para professores multiplicadores; rodas de conversa e oficinas pontuais.

O festival oferece ainda 13 oficinas gratuitas, em 12 cidades, ministradas por convidados nacionais e internacionais participantes do festival. São encontros pontuais, de duas a três horas de duração, abertos a todos os interessados. Inscrições e mais informações no site www.dancaemtransito.com.br.

O 21º Dança em Trânsito é apresentado pelo Ministério da Cultura, através da Lei de Incentivo à Cultura, e conta com patrocínio master do Instituto Cultural Vale e patrocínio da Volkswagen Caminhões e Ônibus e Engie Brasil Energia

"A inauguração do Espaço Tápias, há pouco mais de um ano, permitiu que pudéssemos colocar em prática ideias que tínhamos em mente. Além de servir como sede do Grupo Tápias, abrigar projetos sociais, espetáculos, coproduções, aulas, entre outras atividades, expandimos a realização do Dança em Trânsito, que incorpora um novo projeto, em sua cidade de origem, para ajudar a fomentar ainda mais a dança contemporânea, com espetáculos adultos e infantis”, explica Giselle Tápias, diretora artística e curadora do festival, ao lado de Flávia Tápias.

 

PROGRAMAÇÃO SÃO PAULO

 

 

  • Consulte a classificação indicativa na página do evento

 

 

17H | CENTRO CULTURAL FIESP - ESPLANADA

ROTAS AFORA (20 min)

Residência de Intercâmbio Internacional (Brasil, República Tcheca, Ucrânia, França)

Em parceria com o TANEC PRAGA (Festival Internacional de Praga, República Tcheca). A parceria criativa, que reúne intérpretes brasileiros e estrangeiros, conta com bailarinos do Brasil, França, República Tcheca e Ucrânia, e também refugiados da Ucrânia, convidados desta edição. A proposta, além do encontro, inclui também as histórias individuais que se entrelaçam.

 

 

17H25 | CENTRO CULTURAL FIESP – ESPAÇO CAFÉ

OXYMORE (15 min)

Cie Felinae - Maxime Cozic (Toulon, França)

Um duo cujo ponto de partida é abordar o estado de embriaguez. É uma obra que mostra diferentes modalidades de relações de poder que podem surgir em contextos de ebriedade, como por exemplo, uma saída de boate, durante a qual dois amigos que se fazem companhia podem acabar entrando em conflito.

 

 

17H55 | CENTRO CULTURAL FIESP - MEZANINO

SCOTOMA (23 min)

Clémentine & Lisard (Barcelona, Espanha)

É uma peça de dança que fala sobre atenção. Um convite para refletir sobre o que a capta e o que a direciona. Será que conseguimos perceber o que estamos considerando como óbvio ou notar o que está oculto, à primeira vista? Um convite a observar o encontro de duas pessoas imersas em seu próprio mundo.

 

INVISIBLE TRACES (20min)

Yana Reutova & Coll (República Tcheca e Ucrânia)

As impressões digitais podem permanecer em outro corpo humano por um longo tempo. Elas nos tornam únicos. Todos os dias transmitimos nossas informações e portamos as de outra pessoa. Mas, ao mesmo tempo, estamos sozinhos em nossa singularidade. 

 

 

18H45 | CENTRO CULTURAL FIESP – FOYER DO TEATRO

LA MEDIDA QUE NOS HA DE DIVIDIR (17 min)

Qabalum Company (Pamplona, Espanha)

São necessários dois lugares para criar uma fronteira. Este espaço está cheio de linhas paralelas ao tempo que nos atravessa e que não é verdadeiro, nem único, nem nosso.

 

 

 

COREOGRAFIA criada para profissionais de São Paulo (10 min)

Maxime Cozic (Toulon, França)

Apresentação da coreografia resultante de Residência Artística com a Companhia Felinae, sob orientação de artistas e coreógrafos convidados de diferentes regiões do Brasil, e, do exterior. Esses profissionais criaram coreografias para os artistas das cidades onde foram realizadas as oficinas de criação, e essas novas coreografias seguem para outra(s) cidade(s)  com o festival.

 

 

 

19H30 | CENTRO CULTURAL FIESP - TEATRO

CAFÉ NÃO É SÓ UMA XÍCARA (60 min)

Grupo Tápias (Rio de Janeiro/RJ e Paris, França)

Espetáculo de dança contemporânea inspirado na obra fotográfica de Sebastião Salgado. Café é plantio, colheita, moagem, cheiro bom pela casa quentinha da memória. Um exercício lírico perpassado pela fé profana ou religiosa, por crenças, tradições e espiritualidade – sem, no entanto, subtrair do ser humano o poder de transformar e recriar sua realidade.

 

  • Consulte a classificação indicativa na página do evento

 

 

17H | CENTRO CULTURAL FIESP - ESPLANADA

UMBIGO DO SONHO (23 min)

Fábio Costa (Brumadinho/MG)

Encena a realidade de jovens negros por meio do encontro entre dança e psicanálise. Fabio Costa, quando criança, acompanhava a mãe, empregada doméstica, e já trabalhava nos jardins das casas, trabalhou na construção civil na adolescência, viveu as brigas e tretas das quebradas, perdendo amigos no tráfico, até ser convidado, com 20 anos, dançando na rua, a fazer parte de um grupo de dança. O psicanalista Musso Greco teceu a trama a partir dos sonhos e da história de Fábio.

 

SONORA (13 min)

Companhia La Intrusa (Barcelona, Espanha)

O vento que viaja pelo deserto de Sonora geralmente causa turbulência e aumento de temperatura. Ele move partículas de poeira e areia das áreas desérticas de onde vem. Não nos deixemos levar pelo que nos domina, pelo que nos desintegra. "Sonora" desperta a vontade de resistir.

 

 

 

 

17H55 | CENTRO CULTURAL FIESP – ESPAÇO CAFÉ

COREOGRAFIA criada para profissionais de Salvador (10 min)

Damián Muñoz e Virginia García (Barcelona, Espanha)

Os profissionais criarão coreografias para os artistas das cidades onde forem realizadas as  oficinas de criação, e essas novas coreografias seguirão para outra(s) cidade(s) com o festival.

 

 

18H15 | CENTRO CULTURAL FIESP - MEZANINO

NIHIL OBSTAT (30 min)

Jorge Garcia (São Paulo/SP)

Nihil Obstat (em latim Nada Impede) é a aprovação oficial do ponto de vista moral e doutrinário de uma obra que aspira ser publicada. Este solo deu início à trilogia Imprimatur, com as coreografias Imprimi Potest e Imprimatur, trabalhos que discutem a quem permite o aval para que um trabalho ou obra de arte possa ou não participar de determinado edital, mostra ou evento.

 

 

18H45 | CENTRO CULTURAL FIESP – FOYER DO TEATRO

(20 min)

Company SIGA (Seul, Coreia do Sul)

Ecstasy dos momentos em movimento. Um movimento em direção a um nível superior de liberdade além dos meus limites. ZERO é um trabalho que procura encontrar uma resposta para esta pergunta persistente.  Depois de exceder o limite de 100% de limitações físicas e depois voltar para “ZERO”.

 

 

19H30 | CENTRO CULTURAL FIESP - TEATRO

SOLO GOLDBERG VARIATIONS (55 min)

Virgilio Sieni Dance Company (Florença, Itália)

Um manifesto da arte coreográfica de Virgilio Sieni, um emblema de sua experimentação com o corpo e as linguagens da dança, sempre com o objetivo de ir além dos refúgios e codificações formais. Nessa obra, a música de Bach, executada ao vivo, define uma arquitetura métrica e imaterial na qual Virgilio Sieni se insere, colocando em movimento um repensar contínuo do corpo dançante, desenvolvendo uma performance que incorpora toda uma experiência humana, figurativa e coreográfica. 

 Confira a programação e faça aqui sua reserva

 

 

Dança em Trânsito

Criado em 2002, o Dança em Trânsito é um festival internacional de dança contemporânea que tem por objetivo valorizar, promover e democratizar esta expressão artística, seja pelo intenso intercâmbio entre artistas e companhias do Brasil e do exterior, como também pela itinerância, percorrendo desde as grandes cidades até pequenas localidades no interior do Brasil, em teatros ou espaços públicos. Sua atuação abrange ainda residências artísticas, com oficinas de criação, e workshops, abrindo canais para novos talentos da dança, e a formação de plateias, estimulando o interesse pelas artes e pela dança. 

O festival é parte do projeto Ciudades Que Danzan, que reúne 41 cidades em diversas partes do mundo com o intuito de difundir a dança contemporânea. Desde a sua criação, em 2002, o Dança em Trânsito já apresentou mais de 1.100 apresentações, com cerca de 100 companhias de 18 países, envolvendo mais de 30 cidades das cinco regiões do Brasil e exterior, para um público de mais de 70 mil pessoas. Em 2020, durante a pandemia, realizou uma versão online, indicada ao Prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA), na categoria “Difusão”, e, em 2021, a primeira edição híbrida, que envolveu 25 cidades.

 

 

O Grupo Tápias é a companhia de dança associada ao Dança em Trânsito desde suas primeiras edições. Mantém um quadro estável de bailarinos estrangeiros e brasileiros e, ao longo dos anos, vem criando uma sólida base técnica, além de incessante pesquisa de linguagem própria. Com direção artística de Flávia Tápias, o Grupo Tápias traz para a 21ª edição do Dança em Trânsito obras plurais para diversos públicos como Café não é só uma xícara, Solo, On ne se connait pas encore e o espetáculo infanto-juvenil Creme do Céu. Irá circular pelas cinco regiões do país reforçando o compromisso de levar a dança contemporânea a espaços diversos.

Direção geral: Giselle Tápias. Direção artística e curadoria: Giselle Tápias e Flávia Tápias.

Assistente de direção: Larissa Ramalho. Produção: Limento. Assessoria de imprensa Rio de Janeiro e Geral: Leila Grimming. Contatos artísticos: Clara Francis e Larissa Ramalho. Produção em São Paulo: Luiza Tabet. Assessoria de imprensa em São Paulo: Fernanda Teixeira. Coordenação técnica e de palco: Louis Radavelli. Vídeos e streaming: Thales Ferreira e Luciana Ponso. Revisão de textos: Rosane Alves. Fotografia e vídeo: Fernanda Valois I TRUQUE. Redes Sociais: DIEGO GERMANO. Assessoria Contábil: Fóres Contábil.
Equipe de apoio: Spectaculu Escola de Arte e Tecnologia.

 


DANÇA EM TRÂNSITO [21ª edição]
Saiba mais sobre o projeto e inscrições para as oficinas em www.dancaemtransito.com.br

Centro Cultural Fiesp
Avenida Paulista, 1313 – em frente à estação Trianon-Masp


Dias 15 e 16 de agosto de 2023
Entrada gratuita e por ordem de chegada.

Acontece em vários espaços do Centro Cultural Fiesp, como – Esplanada, Foyer, Espaço Café, Mezanino e Teatro. 


Agendamentos de grupos e escolas pelo e-mail ccfagendamentos@sesisp.org.br