O que está buscando?
MEU SESI - Entrar
Ladrão - Zumb.Boys

Ladrão - Zumb.Boys

Projeto: Núcleo de Artes Cênicas Sesi-SP

“Ladrão” carrega enquanto assunto o que volteia o infrator, figura que rompe com convenções acordadas. Tem sua inteligência construída em leituras de situações, na vivência de símbolos existentes, diálogos e acordos sobre maneiras de agir, abordagens, relação de certo e errado, relação com o medo, com o inesperado e o arrependimento.

A montagem é um recorte social sobre o comportamento humano. Um impasse dos momentos racionais e irracionais, impulsionados pela emoção. São dois desejos em um só corpo. A racionalidade que trama, entrelaçada com a irracionalidade de fazer algo fora dos padrões da “normalidade”. Tudo se origina na mente, que governa nossas ações – criatividade, engenhosidade, potencial, lealdade, entusiasmo e sentimento. Nesse espetáculo investiga-se as sensações e estratégias para cada furto ou golpe. Trata desse ambiente sobre o
pensar, o iludir e estabelecer condições de vantagens em determinados contextos.

Duração:

60 min

Categoria: Infantojuvenil
Ficha Técnica:

Direção e concepção: Márcio Greyk Interpretes criadores: David Xavinho Danilo Nonato Eddie Guedes Guilherme Nobre Igor Souza Márcio Greyk Técnico de som: Gil Douglas Técnico de iluminação: Renato Lopes Produção executiva: Pablo Araripe

Gênero: Dança
Minibiografia do Grupo ou Cia:

Zumb.boys nascido na periferia de São Paulo acumula uma longa trajetória de pesquisa e produção em dança, tendo criado sua própria identidade utilizando a dança como base de pesquisa. Nessa jornada foram produzidos seis espetáculos, “B.E.C.O. (b.boys em construção original)”, “Dança por correio”, “Ladrão”, “O que se rouba”, “Mané Boneco” e “Solos de Laje”. No ano de estreia do “Mané Boneco” chegaram às premiações: Denilto Gomes - Produção em dança e melhor desenho de luz, ambos com o espetáculo “O que se rouba”. Ainda em 2016 a intervenção “Dança por Correio” recebe o prêmio APCA – Associação Paulista de Críticos de Artes. De melhor espetáculo. Em 2017, indicado ao Prêmio APCA como melhor espetáculo, agora com o trabalho “O que se rouba” e nesse mesmo ano chega à vez de “Mané Boneco” receber o Prêmio Denilto Gomes intervenção urbana. No ano de 2020, novamente indicados ao APCA em duas categorias: Criação com “Solos de Laje” e Difusão com Mostra Online de repertório.


CLIQUE NA UNIDADE PARA RESERVAR