Menu Site
 Por: Núcleo de Comunicação
07/06/2019 09:22 - atualizado às 09:06 em 24/06/2019

Galeria de Arte Digital
Fachada do edifício-sede FIESP/SESI-SP

De 05 a 20 de junho | todos os dias, das 19h às 6h

 

Das Partes que se Fazem Todo - Livre
Andrea Pivatto e Rogério Lima

Crédito: Everton Amaro

Na metrópole das partes, o todo é movimento. Seguindo essa premissa, a coreógrafa e bailarina Andrea Pivatto e o artista digital Rogério Lima apresentam a obra Das Partes que se Fazem Todo, que combina dança, arte interativa e conteúdo audiovisual. Um sensor de movimentos transformou a coreografia criada pela bailarina em animações abstratas, exibidas na fachada do edifício. O conteúdo visual exibido é registro da obra realizada originalmente de forma interativa em 2017.


Os artistas

Diretora do grupo Divinadança, a bailarina e coreógrafa Andrea Pivatto foi professora convidada nas Companhias de Dança de Ribeirão Preto, de Diadema e de São José dos Campos. Premiada nos festivais de Joinville e Paulínia, fez residência artística na Akademie Schloss Solitude, em Stuttgart, Alemanha. Apresentou-se como intérprete e coreógrafa do projeto interdisciplinar Window part 2 na Cidade do Cabo, África do Sul. Com Rogério Lima, assinou as obras Das Partes que Se Fazem Todo e VIRTUalmas, trabalhos em que a dupla explora novas interfaces para a dança, com uso de tecnologia.

Rogério Lima, publicitário, artista digital e programador autodidata, atuou como diretor de arte e teve um estúdio de computação gráfica onde produziu animações para grandes empresas. Foi um dos pioneiros no desenvolvimento de aplicativos VR começando com o DK1 do Oculus Rift, e desde então tem desenvolvido aplicativos de VR e AR. Como artista digital, realizou as obras Das Partes que Se Fazem Todo e VIRTUalmas, em parceria com a bailarina e coreógrafa Andrea Pivatto.

 

Reger a Paulista - Livre
André Vicentini e Fernando Visockis

Os elementos sonoros e visuais de Reger a Paulista foram concebidos afim de enaltecer a percepção e explorar diversas possibilidades de interação entre som e luz, público e arquitetura, a cidade e seus cidadãos, explorando a paisagem como uma tela multidimensional que reativa e redesenha espaços urbanos. Utilizando-se de uma plástica minimalista, que explora “erros” digitais e música da vertente chamada de microsounds, a obra transita por diferentes contextos, trazendo referências à uma gama de obras do mundo da arte digital contextualizando-a no século XXI. Resultando em uma instalação que, ao utilizar-se de tecnologias emergentes, se renova a cada vez que é ativada, dando novo significado as paisagens urbanas e convidando o público a tomar parte na criação de uma obra de arte pública de larga escala. O conteúdo visual exibido é registro da obra realizada originalmente de forma interativa em 2018.


Os artistas

Brasileiros e residentes na Europa, André Vicentini é designer e diretor de arte em Helsinki, Finlândia, e Fernando Visockis é compositor musical e designer de interação em Berlin, Alemanha. Ambos atuam em parceria em projetos multimídia, audiovisuais e interativos desde 2013. O projeto é um desdobramento do trabalho anterior da dupla, Conducting Senses, apresentado pela primeira vez no festival Media Facades Helsinki (2015).

LEIA TAMBÉM