Menu Site
 Por: Alex de Souza, Agência Indusnet Fiesp
23/04/2019 11:22 - atualizado às 11:47 em 23/04/2019

 

Em 22 de abril de 1500, os primeiros portugueses desembarcaram em terras tupiniquins, comandados por Pedro Álvares Cabral, e iniciaram o que conhecemos como a História do Brasil. Curiosamente, exatos 522 anos depois, outros portugueses fizeram nova parada no Brasil, desta vez para conhecer o Fab Lab Escola Sesi-SP Vila Leopoldina.

O presidente da Associação FabLabs Portugal, Horácio Pina Prata, e o secretário geral da instituição, José Viana, foram recebidos pelo Supervisor de Fab Labs do Sesi-SP, Ivanei Nunes, que afirmou ser uma oportunidade interessante para ambos os países. “A proposta deles é integrar não apenas Brasil e Portugal, mas também outros territórios lusófonos e países da Europa, tais como França e Reino Unido, para aprendermos uns com os outros e trocarmos projetos e experiências”, afirmou.

Os dirigentes portugueses visitarão alguns Fab Labs durante toda a semana e, na próxima quinta-feira, assinarão acordo de cooperação com a rede Fab Lab Brasil, da qual o Sesi-SP faz parte. “É fundamental que a Educação gere conhecimento. Não apenas a natureza técnica, mas o conhecimento que vai enriquecer as pessoas, que irá contribuir para o desenvolvimento de seus talentos, e foi isso o que observei aqui”, frisou o presidente Prata.

Criada em 2010, a Associação FabLabs Portugal tem o objetivo principal de promover o conceito Fab Lab e defender o interesse comum dos Laboratórios e outros Espaços de Fabricação Digital, em Portugal. Mas como bons exploradores, não querem se limitar às terras lusitanas.

De acordo com o secretário geral, José Viana, a FabLabs Portugal está desenvolvendo o projeto Global Innovation Networking FabLabs (GINFAB), que pretende difundir a rede portuguesa de FabLabs e estabelecer parcerias com entidades homólogas ou similares que estejam relacionadas ao setor tecnológico, criativo e de inovação.

“Queremos observar boas práticas e trocar experiências, de modo que se possam beneficiar todos os FabLabs da rede mundial. É importante conhecer o contexto de cada país a fim de avaliar as oportunidades de cooperação no futuro”, explicou.

Atualmente, o Sesi-SP tem nove unidades em operação e mais vinte e três em fase de criação. O Fab Lab Escola Sesi-SP oferece cursos e oficinas que envolvem a prototipação digital, atividades Maker, robótica, eletrônica digital, prototipagem com Arduino, modelagem e impressão em 3D, desenho planificado em 2D, corte a laser, corte em vinil para comunicação visual e estamparia, usinagem CNC de pequeno porte, programação, projetos com Raspberry e muitas outras atividades.

Horácio Prata gostou das novas descobertas e elogiou o trabalho do Sesi-SP. “Parabéns por estimular a juventude e oferecer um modelo de Educação que vai melhorar seu conhecimento tecnológico, o que é fundamental para o futuro dos Fab Labs”, concluiu.

 

LEIA TAMBÉM