Menu Site
 Por: SESI São Paulo
28/04/2020 15:50 - atualizado às 11:21 em 22/05/2020

Separamos algumas dicas para obter bem-estar na era digital, principalmente nesta fase de quarentena.

Para iniciar uma autorreflexão e autoavaliação, é necessário sinceridade nas respostas dos questionamentos abaixo: 

  • Quantas vezes você acessa suas redes sociais por dia?
  • Quantas vezes você checa as notificações em seu celular?
  • Qual é o seu comportamento no uso da tecnologia?
  • Será que você está ficando viciado em internet?
  • Já se imaginou desconectado do mundo digital por algumas horas ou dias?

 

Cada vez mais, a tecnologia e seus avanços têm influência em nossas vidas e em nosso comportamento. O tempo todo estamos conectados, quer seja por wi-fi ou por dados móveis (4G). É muito raro, encontrar alguém que não tenha um celular, internet ou que não tenha uma conta em alguma rede social. Você sabia que gastamos muito tempo conectados? O brasileiro gasta, em média, 3h34min conectado em plataformas de redes sociais. Passando 9h 29min na internet. A título de comparação, a média mundial é de  6h42 min.

A tecnologia nos trouxe muitos benefícios e malefícios, sendo:

 

Benefícios

 

  • Facilidade nas atividades cotidianas;
  • Informações em tempo real;
  • Fazer compras sem sair da comodidade de casa;
  • Comunicação instantânea com pessoas que estão ao nosso redor ou do outro lado do mundo;
  • Pesquisar sobre qualquer assunto atual ou não;

Malefícios

 

  • Dependência digital;
  • Fake News (notícias falsas);
  • Cyberbullying (violência praticada contra alguém, através da internet ou de outras tecnologias relacionadas ao mundo virtual),
  • Vazamento de informações ou fotos inadequadas (exemplo: nudes);
  • Doenças físicas e mentais;

Será que estamos nos tornando viciados em internet? Estamos ficando dependentes do nosso celular?

E a resposta, é sim. Esse vício e dependência são caracterizados pelo uso exagerado do computador e/ou dispositivos móveis, tendo uma grande necessidade de checar sites e aplicativos a todo momento, postar fotos, vídeos e outras publicações com a finalidade de receber curtidas e comentários. E se nossa postagem não tem curtida ou não é visualizada? Qual é o nosso sentimento? Muitas vezes nos sentimos tristes, e começamos a nos questionar, o que houve? Porque ninguém curtiu ou visualizou? E se a pessoa, não responde sua mensagem de imediato? Ah, bate aquela ansiedade, impaciência ou até uma preocupação, certo? Pois é, bem-vindo ao mundo digital.

Devido a essa dependência, a pessoa fica cada vez mais tempo na internet e, quando fica sem, aparecem sintomas como ansiedade, irritação, impaciência e depressão. Deixa de fazer outras atividades para estar presente no mundo virtual. As consequências, podem surgir como problemas de atenção, memória e concentração.

O uso excessivo está levando ao comprometimento da saúde física devido à má postura, movimentos repetitivos, obesidade, distúrbios do sono, problemas circulatórios, entre outros. Esse uso abusivo causa uma estimulação cerebral, levando à redução dos níveis de melatonina, o hormônio do sono, devido à luz emitida por suas telas.

Ou seja, a pessoa não tem um sono reparador, podendo acordar mais cansada, afetando todo o seu dia.

Ser dependente virtual leva a prejuízos evidentes como perda no rendimento escolar, queda da produtividade no trabalho, piora nas relações interpessoais e má alimentação.

Essa dependência digital é chamada de nomofobia, ou seja, é a angústia causada com a impossibilidade de se usar ou se comunicar através de celulares e computadores.

Surge um medo irracional e excessivo de ficar sem o aparelho, uma espécie de abstinência. É comum o medo de estar perdendo algo importante e de não se estar próximo ao aparelho caso surja uma emergência e a pessoa precise ser facilmente contatada.

O que podemos fazer para que isso não ocorra em nossas vidas, para que não fiquemos dependentes da era digital? 

Que tal praticar a desintoxicação digital? Não sabe, o que é?

É simplesmente estabelecer limites para os tempos online e offline.

 

Seguem algumas dicas: 

  • Determine horários e limites para o uso da tecnologia, dose o seu uso;
  • Aproveite os momentos das refeições sem o uso dos aparelhos eletrônicos, alimente-se com calma, sentindo o gosto dos alimentos e se estiver em família, aproveite para conversar com eles;
  • Descubra um hobby, faça uma atividade física, uma meditação, tenha um lazer (leia um livro ou e-book, assista um show, filme ou série, faça atividades manuais, cozinhe, faça passatempos, escute uma música);
  • Se divirta com sua família, sem ter a obrigação de ficar publicando nas redes sociais;
  • Faça uma dieta digital – alimente sua mente com “bons alimentos”, busque informações positivas;
  • Curta mais a família e os amigos, do que as redes sociais;
  • Fique “offline” antes de dormir;

Essa desintoxicação digital trará muitos benefícios para sua vida, tais como:

  • Redução do estresse;
  • Mais tempo para si mesmo e com a família;
  • Aumento da empatia;
  • Mais tempo para estabelecer relações com os demais e melhorar os vínculos com eles;
  • Relações mais autênticas;
  • Mais tempo livre;
  • Aumento da probabilidade de ficar mais tranquilo e relaxado;
  • Facilidade para praticar o autoconhecimento;
  • Diminuição de doenças mentais e físicas;

Aproveite esse momento de desconexão do mundo virtual para se conectar consigo mesmo e com as pessoas ao seu redor. Principalmente, nesse momento de pandemia, onde muitos estão vivendo em quarentena, usufrua da melhor maneira possível o seu lar e as pessoas que convivem com você.

Muitas vezes, falamos que não temos tempo para nada, então desfrute desse momento que está nos permitindo termos uma pausa.

Lembre-se: existe uma vida, que passa muito rápido, fora das tecnologias.

 

Conte com o SESI-SP nessa jornada!