Menu Site
 Por: Samantha Filev Maia*
30/05/2019 16:55 - atualizado às 17:48 em 30/05/2019

Você é fumante? Mesmo que não seja, provavelmente conhece ou convive com alguém que fuma, certo? Um colega de trabalho, familiar, parceiro, amigo.

Por isso, pergunto: Acha possível (para si ou para o outro) um dia inteiro de abstinência TOTAL de tabaco? Difícil, né?

Pois este é o desafio proposto para 31 de maio, marcado pelo Dia Mundial Sem Tabaco.

Como essa é uma questão que atinge a todos nós, trago algumas informações importantes sobre o tema:

 

Sabe do que é feito o cigarro?

De tabaco, papel e filtro, basicamente. Entretanto, as folhas de tabaco têm características diferenciadas entre si e o “blend” (mistura) é definido por cada indústria, a cada produto. 

 

O tabaco está, inclusive, no narguilé!

É isso mesmo! O tabaco está presente no cigarro comum, mas também no charuto, cachimbo, narguilé, fumo mascado na forma snuff (tabaco moído muito fino, comercializado em pó seco ou úmido) e em pequenos sachets para ser colocado na boca1.

 

O cigarro possui 4700 substâncias tóxicas

Segundo o INCA - Instituto Nacional de Câncer, as 4700 substâncias tóxicas são resultado da combustão do cigarro. Entre elas: monóxido de carbono, nicotina, amônia, acetonas, resíduos de agrotóxicos, naftalina, substancias radioativas e as usadas em veneno de rato, além dos outros compostos cancerígenos. Além disso, a brasa do cigarro chega a 900ºC, o que leva a queimaduras na boca e trato respiratório, e ainda há as irritações de olhos, nariz, garganta.

 

O tabagismo não é um VÍCIO. É uma DOENÇA!
Dependência de nicotina é uma doença, de acordo com o INCA2, e tem relação com aproximadamente 50 outras enfermidades, dentre elas:

 

• Vários tipos de câncer (pulmão, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rim, bexiga, colo de útero, leucemia);
• Doenças do aparelho respiratório (enfisema pulmonar, bronquite crônica, asma, infecções respiratórias);
• Doenças cardiovasculares (angina, infarto agudo do miocárdio, hipertensão arterial, aneurismas, acidente vascular cerebral, tromboses);
• Úlcera do aparelho digestivo;
• Osteoporose;
• Catarata;
• Impotência sexual no homem;
• Infertilidade na mulher;
• Menopausa precoce;
• Complicações na gravidez.

 

Além disso:

 

• Os fumantes adoecem duas vezes mais que os não fumantes;
• Têm menor resistência física, menos fôlego e pior desempenho nos esportes e na vida sexual do que os não fumantes;
• Envelhecem mais rapidamente e ficam com os dentes amarelados, cabelos opacos, pele enrugada e impregnada pelo odor do fumo.

 

Vamos a alguns números?

 

• Em 2017 foi feito um levantamento e descobriu-se que no Brasil 428 pessoas morrem por dia devido ao tabagismo. Com isso:
• 156.216 mortes poderiam ser evitadas a cada ano³;
• Os fumantes perdem cerca de 7 anos de vida.

 

Assusta? Assusta.

Mas é importante falar sobre o assunto para pensarmos sobre, não é mesmo? Quando temos saúde, temos o suficiente para seguir a vida batalhando por nossos objetivos, viver nossos sonhos e construir grandes coisas.

Pense nisso. O prazer imediato proporcionado pelo cigarro te atrai mais do que a chance de viver com qualidade de vida? Desafie-se.

*Samantha Filev Maia é médica Fisiatra do SESI-SP.

Referências Bibliográficas:
1. Scielo - Scientific Electronic Library Online (www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-37132008001200013
2. INCA - Instituto Nacional de Câncer (www.inca.gov.br/tabagismo)
3. Pinto M, Bardach A, Palacios A, Biz AN, Alcaraz A, Rodríguez B, Augustovski F, Pichon-Riviere A. Carga de doença atribuível ao uso do tabaco no Brasil e potencial impacto do aumento de preços por meio de impostos. Documento técnico IECS N° 21. Instituto de Efectividad Clínica y Sanitaria, Buenos Aires, Argentina. Maio de 2017. Disponível em: (www.iecs.org.ar/tabaco

LEIA TAMBÉM