O que está buscando?
Portal Educa    MEU SESI - Entrar

Alunos das escolas Sesi de Campinas e Hortolândia são premiados em feira de ciências da USP com projetos que promovem a equidade

Um aplicativo para a comunicação em Libras e uma plataforma que conecta pessoas com deficiência interessadas em praticar esportes foram as soluções premiadas

 Por: Sesi São Paulo
12/04/202216:33- atualizado às 15:35 em 19/04/2022

Dois projetos desenvolvidos por alunos das escolas SESI São Paulo se destacaram na edição de 2022 da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE), a maior mostra de projetos científicos escolares do Brasil.

Um deles foi criado pelos estudantes Alessandro Alves, Luiz Morais e Naiury Silva, da escola SESI de Hortolândia (SP), e reconhecido com o 3º lugar em “Ciências da Saúde”. Trata-se do Adápptei, site que reúne informações sobre esportes adaptados, locais apropriados para a prática destas atividades, bem como meios de transporte acessível no município. A ferramenta também permite ao usuário a localização de pessoas com esses interesses em comum. Atualmente, a plataforma conta com 114 cadastros.

 

 

Assista ao vídeo sobre o projeto Adápptei: adaptar para incluir 

Para o desenvolvimento dos projetos, os alunos foram orientados pelos professores Carolina de Andrade e Leonardo Panazzolo. Os estudantes foram premiados com medalhas e certificados digitais.

Alunos do SESI de Hortolândia são os criadores do site Adápptei.

 

Aplicativo que traduz Libras em tempo real foi criado por alunas do SESI Campinas 

Foi durante uma aula de Língua Portuguesa que Larissa Matuo de Oliveira, Vanessa Mendes Vieira da Silva e Livia Yasmim Araújo refletiram sobre a importância de integrar cada vez mais as pessoas com deficiência auditiva na sociedade, movida pela comunicação e informação. Concluintes do Ensino Médio do SESI em 2021, as ex-alunas de Campinas desenvolveram um aplicativo que realiza tradução de Libras em tempo real, transcrição de áudio para texto e tradução por imagem.  

“Buscamos caminhos para uma sociedade bilíngue e acessível para nós ouvintes e para os não ouvintes, gerando, então, uma comunicação efetiva entre as duas partes”, destacou a aluna Vanessa no vídeo de apresentação do projeto do aplicativo, que conta ainda com um minidicionário de Libras.
                

Na maior mostra de projetos científicos escolares do Brasil, a solução “Bilinguismo: aplicativo assistivo para comunicação efetiva da Libras" foi reconhecido com o “Prêmio Destaque Instituto 3M”. Além disso, as autoras da ideia receberam medalhas e a oportunidade de participar de um bate-papo online com Paulo Gandolfi, Diretor de P&D da 3M na América Latina.

 

Na foto, da esquerda para a direita: Larissa Matuo de Oliveira (ex-aluna), professora Débora Venâncio Claudino, Vanessa Mendes Vieira da Silva e Livia Yasmim Araújo (ex-alunas). O trabalho delas já tinha sido premiado na 9ª Feira Brasileira de Colégios de Aplicação e Escolas Técnicas – 9ª Febrat, em 2021. A equipe recebeu, ainda, a menção honrosa pela melhor apresentação em vídeo na Febrat. Na 3ª FeNaDante, do Colégio Dante Alighieri, em 2021, o projeto ficou em 2º lugar.

 

Leia também