Sesi-SP luta, leva o jogo para o tie break, mas fica com o vice-campeonato da Copa Brasil - Notícia - SESI SP

Sesi-SP luta, leva o jogo para o tie break, mas fica com o vice-campeonato da Copa Brasil

28/01/2018 - Esporte

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp 

Foi a disputa que marcou o reencontro do time paulista e do time mineiro, equipes que buscam conquistar o Brasil. Em jogo sediado no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo, Sesi-SP e Sada Cruzeiro fizeram um confronto imprevisível, no qual qualquer um dos times poderia ter saído com a vitória da Copa Brasil 2018. Melhor para o grupo mineiro, que soube aproveitar as oportunidades no tie break e venceu por 3 x 2 (23/25, 25/20, 17/25, 31/29 e 09/15). Para o levantador e capitão, William Arjona, a partida foi decidida nos detalhes, que não podem ser desperdiçadas numa final.

“Foi um ótimo jogo, digno de uma final. Estou super orgulhoso da minha equipe. Fomos extremamente corajosos para jogar contra uma equipe multicampeã. Tenho certeza que estamos no caminho certo. No quinto set faltou um pouco de lucidez. É um set decisivo. Um time acostumado a jogar final tem de jogar de igual para igual, se abrir vantagem fica complicado. Mas o time está de parabéns”, comentou William.    

Em uma partida de muitas emoções, a começar pelo maestro da orquestra Bachiana Filarmônica do Sesi-SP, João Carlos Martins, que tocou o hino nacional, o confronto contou com muitas viradas. O Sesi-SP reagiu, buscou o placar, empatou e muitas vezes se manteve na frente nas parciais, mas acabou superado. Lipe, Alan, Douglas Souza e Aracaju brilharam em quadra, deram trabalho para a defesa do Cruzeiro, mas mesmo assim sentiram a pressão.

Com o resultado, o time da casa fica com o vice-campeonato da Copa Brasil e agora volta as atenções para a continuidade do segundo turno da temporada 2017/18 da Superliga. A equipe volta à quadra contra o Juiz de Fora, em Minas Gerais, no próximo sábado, às 18h.

Eternizando a camisa

Antes mesmo do aquecimento para a grande decisão, Murilo foi surpreendido. Com o ginásio quase lotado, o presidente do Sesi-SP e da Fiesp, Paulo Skaf entrou em quadra e com um quadro em mãos convocou o camisa oito. “Esse cara aqui merece todo o nosso respeito. E depois de dez anos de parceria e muita dedicação a nossa camisa, eu quero eternizar a camisa 8 do Sesi-SP. A partir de hoje essa camisa pertence apenas ao Murilo e mais ninguém”, comentou o presidente.

Dono de duas pratas olímpicas, Murilo defende o Sesi-SP desde 2009 e foi campeão da Superliga 2010/11. Até a última temporada atuava como ponteiro, mas passou à função de líbero para prolongar sua carreira. “Estou muito emocionado, não tenho nem palavras para descrever. Só agradecer ao Sesi-SP, ao Paulo Skaf e a toda equipe”.

O Sesi-SP entrou em quadra com o levantador William, o oposto Alan, os centrais Lucão e Gustavão, os ponteiros Lipe e Douglas Souza e o líbero Murilo. Entraram Vaccari, Franco, Evandro, Renato e Aracaju. Enquanto o Sada Cruzeiro começou com Uriarte, Evandro, Leal, Isaac, Filipe, Simon e Serginho.