Sesi-SP fecha o Troféu Maria Lenk com ouro de Etiene nos 50m livre - Notícia - SESI SP

Sesi-SP fecha o Troféu Maria Lenk com ouro de Etiene nos 50m livre

06/05/2017 - Esporte

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

A equipe de natação do Sesi-SP fechou a última noite do Campeonato Brasileiro Absoluto – Troféu Maria Lenk de Natação 2017, disputado no Rio de Janeiro, com mais uma medalha de ouro. Após cinco dias de provas, o grupo da indústria ficou com a sexta posição no quadro geral (609 pontos) e um total de seis medalhas, sendo quatro de ouro e duas de prata.

Etiene Medeiros, que já havia alcançado o lugar mais alto do pódio nos 50m costas e no revezamento 4x100m livre, voltou a garantir a dianteira na noite deste sábado (6 de maio), agora nos 50m livre. Baixando um pouco mais o tempo feito nas eliminatórias (24s78), a pernambucana voltou a nadar na casa dos 24 segundos e ficou com o segundo ouro (24s73). Em segundo lugar veio Alessandra Marchioro (25s10), da Unisanta, seguida por Graciele Hermann (25s17), do GNU.

“Queria ter feito um tempo um pouco melhor, mas estar nadando de novo para 24s é bom. Mas fica a observação que meu rendimento físico caiu, fiquei doente essa semana, mas matei de letra para seguir a competição”, comentou Etiene, que agora está entre as dez melhores marcas do mundo na temporada.

O torneio foi a última seletiva para o Mundial da Hungria, em julho. Sem a definição do índice para cada prova, o regulamento final do critério classificatório só será divulgado na quinta-feira, dia 11 de maio. A princípio, apenas os oito mais bem colocados em provas olímpicas, com base no ranking da Fina que compara todas as provas, vão ao Mundial.

“A gente fica na espera. Torcemos para que levem a melhor seleção, se for oito ou dezesseis, mas que escolham o melhor critério possível para essa decisão. Eu sei que fiz a minha parte, estamos na torcida”, finalizou a nadadora, que levou o troféu de melhor índice técnico após o ouro nos 50m costas.

Para o técnico Fernando Vanzella, a equipe foi crescendo e evoluindo a partir do meio da semana de provas, e, mesmo sem mostrar todo seu potencial logo de cara, conseguiu encerrar bem a competição.

“Estamos com uma equipe renovada, com atletas novos, alguns deles retomando de um ciclo olímpico e buscando uma nova forma para a temporada 2017. Nessa competição, senti que o grupo começou a melhorar a partir da terceira etapa e evoluiu um pouco até agora no final. Foi abaixo do que poderíamos, mas para uma retomada, um novo ciclo está bom”, comentou o treinador, que já está de olho nas próximas competições.

“O trabalho não para, está só começando. Agora é pensar no Finkel, estudar tudo o que foi feito aqui e projetar os próximos passos. Outra coisa é manter a torcida para ver como ficará a convocação para o Mundial. Queremos muito que a Etiene entre nessa lista”, concluiu. 

Etiene Medeiros na largada para seu ouro nos 50m livre no Maria Lenk 
Foto: Amanda Demétrio/Fiesp


Outros resultados
Além dos ouros da Etiene Medeiros, o grupo da Vila Leopoldina retorna para casa com mais uma medalha dourada com Daynara de Paula nos 50m borboleta e duas pratas, nos 100m borboleta e 100m livre.

No revezamento 4x100m medley masculino, os nadadores da indústria chegaram bem perto da sétima conquista para equipe paulista. Henrique Rodrigues (100m costas), Raphael Rodrigues (100m peito), Matheus Gonche (100m borboleta) e Henrique Pereira (100m livre), chegaram a figurar na terceira colocação no início da série, mas acabaram superados pelo time da Unisanta, que ficou com o bronze. O Sesi-SP terminou em quarto, com o tempo de 3m45s66.