Estudantes precisam de exemplo, afirma Skaf em Bauru ao batizar escola com nome de educador - Notícia - SESI SP

Estudantes precisam de exemplo, afirma Skaf em Bauru ao batizar escola com nome de educador

06/04/2018 - Educação

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf, participou nesta sexta-feira (6 de abril) em Bauru de homenagem a Gerson Trevizani (Duda), batizando com seu nome o Centro Educacional do Sesi localizado no Horto Florestal. A escola, que atende 864 alunos no Ensino Fundamental, sendo 480 em tempo integral, passou a se chamar Escola Sesi Gerson Trevizani – Duda. “O nome vai se eternizar aqui, como um exemplo a ser seguido”, afirmou Skaf na cerimônia. “Para que crianças e jovens possam se inspirar. Nada substitui o exemplo humano.”

Skaf também assinou parceria entre o Sesi-SP e o Vôlei Bauru, além de apresentar o projeto de novo ginásio que será construído na área da escola do Horto. Com capacidade para 5.000 espectadores, o ginásio poliesportivo atenderá quatro modalidades: handebol, futsal, basquete e vôlei. O projeto inclui a adequação de área externa com infraestrutura para receber foodtrucks durante os jogos. “A cidade merecia ter e precisava ter o ginásio”, disse Skaf.

Os times de Robótica das Escolas Sesi de Ourinhos, Bauru e Barra Bonita, presentes à homenagem, tiveram uma surpresa. Skaf anunciou que o Sesi-SP vai enviar as equipes para participar das etapas europeias do campeonato mundial de robótica, na Hungria e na Estônia. “Tem que trazer troféu”, brincou Skaf ao dar a boa notícia.

O time de robótica do Sesi de Ourinhos com Skaf. Foto: Ayrton VIgnola/FIesp 
Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 

Paulo Skaf na Escola Sesi Gerson Trevizani – Duda, em Bauru 
Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Gerson Trevizani, o Duda, morreu em outubro de 2017. Professor, comunicador e empresário, nascido em Pirajuí, em 6 de novembro de 1943, quando jovem Duda tinha como sonho ser químico, mas o convite para um trabalho temporário como professor de química em sua cidade natal o fez mudar de rumo. Apaixonou-se pela docência.

Nos anos 1970 ajudou a formar o Grupo Prevê, de curso pré-vestibular. Também fundou duas faculdades – a Associação Bauruense de Ensino Superior e Cultura, que se fundiu à Unip, e o Instituto Superior de Bauru.

Além da educação, Duda teve marcante presença na mídia bauruense. Na década de 1990, seu grupo foi o último proprietário do jornal Diário de Bauru e, em 1995, ao lado do sócio José Luiz Garcia Peres e do jornalista Samuel Ferro, iniciou as transmissões da TV Prevê. Duda Trevizani deixa os filhos Maria Augusta, Paulo Eduardo, Gerson, Mônica, Miriam e Márcia, além da atual esposa, Eliana.