Menu Site
 Por: SESI Bauru
08/11/2018 16:57 - atualizado às 14:08 em 09/11/2018
Compondo a Seleção Brasileira sub-21, os atletas Michael Marcelino e Renan Torres conquistaram medalhas de prata e bronze, respectivamente, no Campeonato Mundial Junior, em Nassau, Bahamas, realizado entre os dias 17 e 21 de outubro.
 
O ligeiro Renan Torres (60kg) lutou no dia 17. Iniciou derrotando Sumiyabazar Enkhtaivan, da Mongólia, e o georgiano Temur Nozadze, nas oitavas-de-final, ambos nas punições e no golden score. Nas quartas, dominou o turco Samet Kumtas, encaixou uma imobilização e fez o adversário bater para desistir da luta. Na semifinal, o adversário foi o japonês Seishiro Konishi que acabou conseguindo um ippon (imobilização de 20 segundos) e vencendo o atleta brasileiro. Na disputa pelo bronze, Renan se recuperou e venceu o cazaque Bauyrzhan Narbayev, conquistando a medalha.
 
Renan conquistou a medalha de bronze (Foto IJF/Divulgação)
 
 
“Estou muito feliz com essa conquista. É a conquista mais festiva da minha carreira até hoje! Eu vinha treinando muito para chegar até aqui. Passei por várias competições durante o ano, me preparei bastante e é muito gratificante esse momento. Desde que entrei no judô, não imaginava chegar até aqui. Só que depois que comecei a competir e treinar eu sempre me dediquei muito para momentos como esse. Claro que é só o começo e os desafios daqui para frente serão maiores”, comemora Torres.
 
Já o meio-leve Michael Marcelino (66kg) participou das disputas no dia 18. Venceu o austríaco Wachid Borchashvili na primeira luta, eliminou Luca Caggiano (Itália) nas oitavas; passou por Salvador Roca (Espanha) nas quartas e venceu o cazaque Sunggat Zhubatkan na semifinal. Na decisão pelo ouro, o brasileiro enfrentou o atual líder do ranking mundial júnior, Manuel Lombardo, que o venceu. O brasileiro ficou com a prata.
 
Michael trouxe a prata para o SESI-SP (Foto IJF/Divulgação)
 
 
“Eu não imaginava que seria, mais uma vez, vice-campeão mundial tão cedo assim. Eu fui lá, lutei sem pressão, sem obrigação de vencer e, graças a isso, graças a Deus, deu tudo certo. Só tenho a agradecer aos meus técnicos, Marinho, Marcos, Renata, Fernanda, por todo o carinho que têm por mim, por sempre estarem torcendo por mim, sempre estarem dispostos a me ajudar a conquistar meus objetivos, meus sonhos. Não tem outro clube igual ao SESI e quero agradecer a todos por isso”, aponta Marcelino.
 
Oriundos da base, Michael e Renan, de 19 anos, iniciaram a prática esportiva através do programa Sesi Treinamento Esportivo - Renan em 2014 e Michael em 2015. Alunos da instituição, a dupla, faixa preta de judô, já soma em seus currículos mundiais da categoria e outras competições na equipe adulta. Michael Marcelino é o atual campeão dos Jogos Sul-americanos Sênior 2018 de Cochabamba na categoria até 66kg, enquanto Renan Torres ficou com o título da Copa Pan-americana Sênior 2018 de Lima, na categoria até 60kg. A equipe de Rendimento Esportivo Judô do SESI-SP treina em Bauru. 
 
“Para nós do SESI é importantíssimo, porque esses atletas começaram no programa do SESI Treinamento Esportivo, hoje estão no Rendimento e já estão na seleção principal. Então, segue a premissa do SESI de estar trabalhando o atleta na base, na sua formação até o alto rendimento na seleção principal e buscando a vaga olímpica. E, com certeza, eles vão entrar no próximo processo do ciclo olímpico de Tokyo. Eles já estão nessas competições internacionais! E para 2024 já nos deixam com bastante esperança de buscar essa vaga e conquistar essa vaga para uma Olimpíada e, se Deus quiser, uma medalha para o Brasil”, declara o técnico, Marinho Esteves. 
 
Para o diretor do Centro de Atividades de Bauru, Clóvis Cavenaghi Pereira, o sucesso é resultado de muito trabalho: “É o que ocorre com judô de rendimento em Bauru: um trabalho consistente tecnicamente e uma preparação física altamente qualificada, somados a um gerenciamento do projeto que, conforme orienta o Presidente do SESI-SP, Paulo Skaf, temos que fazer o melhor e da melhor forma para alcançarmos resultados não só na formação do atleta competitivo, mas, especialmente, na formação do cidadão. Importante ressaltarmos os aspectos sociais do desenvolvimento dos atletas, podendo ser citada a possibilidade dos mesmos estarem frequentando cursos superiores numa parceria fantástica com a Faculdade Anhanguera, acompanhamento nutricional com uma alimentação criteriosa no SESI, enfim, entendo ser uma soma de ações atendendo a premissa de que crescem as pessoas, cresce o Brasil!”, completa.
 
Judocas foram recepcionados pelos técnicos no retorno à Bauru