Sesi-SP perde no tie-break, mas ponto contra Unilever leva equipe ao 4º lugar na Superliga feminina

Em jogo emocionante na Vila Leopoldina, equipe tem atuaçao vibrante, mas acaba derrotada p

Juan Saavedra - 17/02/2013

volei feminino  
Foto: Everton Amaro 
Tandara (16) foi a maior pontuadora da partida, com 27 finalizações 

O público que lotou o ginásio da Vila Leopoldina na noite deste sábado (16/02) não se arrependeu. Em quadra, as equipes do Sesi-SP e da Unilever fizeram um dos mais disputados jogos da fase classificatória da Superliga feminina, com duração de 2h55. No final, melhor para as visitantes, que venceram as donas da casa por 3 sets a 2 (25/21, 26/24, 22/25, 24/26 e 20/18). A partida valeu pela oitava rodada do returno da competição.

O ponto somado na derrota no tie-break foi importante. Com ele, o Sesi-SP ultrapassa o Praia Clube no critério de desempate e assume o quarto lugar, posição , se confirmada ao final da próxima rodada, garante vantagem no playoff da quarta-de-final.

Na visão do técnico Talmo de Oliveira, o jogo mostrou a evolução da equipe do Sesi-SP. "Pena que a gente não conseguiu a vitória aqui dentro, mas ganhamos um ponto que, na classificação de uma Superliga tão equilibrada, como está sendo, esse ponto nos joga para o quarto lugar. Vamos seguir trabalhando", disse o treinador, que elogiou as entradas, no decorrer da partida, da levantadora Carol Albuquerque e da oposta Jessica.

A ponteira do Sesi-SP, Tandara, com 27 acertos, foi a maior pontuadora. "A gente começou um pouco mal, erramos saque durante o jogo, mas fomos buscar o empate. Com certeza o detalhe, a besteirinha no final, levou elas à vitória, mas crescemos durante o jogo e crescemos durante a Superliga", analisou Tandara, para quem a atuação diante das líderes cria mais confiança para a sequência da competição.

O jogo reuniu um total de nove campeãs olímpicas (Dani Lins, Fabiana Claudino, Tandara, Sassá e Carol Albuquerque, do Sesi-SP; e Walewska, Carol Albuquerque, Fabi e Fofão, do time da Unilever).

O Sesi-SP enfrenta na próxima rodada o São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP). A partida será novamente na Vila Leopoldina, em São Paulo, também na sexta-feira (22/02), às 21h. 

O jogo

O Sesi-SP começou com Dani Lins, Fabiana Claudino, Sassá, Tandara, Elisangela e Bia, com Verê e Juliana entrando na posição de líbero. Já a Unilever jogou com Fofão, Gabi, Waleska, Sarah, Natália e Juciely, e a líbero Fabi.

O primeiro set começou equilibrado, com ligeira vantagem das visitantes, que chegaram ao primeiro tempo técnico na frente: 08/06. Daí em diante, a equipe carioca mostrou sua força e abriu 16/09 na segunda parada obrigatória. Fofão explorava jogadas pelo meio, com Juciely, e a altura da oposta canadense Sarah Pavan. O Sesi-SP melhorou e chegou a diminuir para 13/16, o que levou Bernardinho, técnico adversário, a um pedido de tempo. Carol Albuquerque entrou no lugar de Dani Lins e passou a acionar a central Fabiana Claudino, que fez o 18/21 depois de bonito rali. O Sesi-SP encostou no placar (20/22), levando Bernardinho a mais um pedido de tempo, que acertou sua equipe para fechar a parcial em 25/21.

No segundo set, Talmo manteve Carol Albuquerque - a experiente levantadora permaneceu até o final, saindo brevemente no final do jogo para descansar. E o Sesi-SP veio mais animado, chegando ao primeiro tempo técnico na frente: 08/05. A vantagem de três pontos foi mantida até o 12/09, mas o Sesi-SP se desconcentrou com uma decisão polêmica da arbitragem e sofreu a virada na segunda interrupção obrigatória: 16/14 para a Unilever. Mais calmo, o Sesi-SP voltou melhor e chegou à reta final em vantagem (21/20) com Tandara depois de um dos muitos ralis da partida. A equipe carioca chegou ao primeiro set point (24/23) e fez 2 sets a 0 com 26/24.

No terceiro set, o Sesi-SP veio determinado e impôs um 04/00, levando Bernadinho ao primeiro pedido de tempo da parcial. A equipe, com Jessica em quadra, seguiu bem  e Carol Albuquerque, de saque, fez o 08/03. A vantagem subiu para sete pontos com Tandara (13/06), mas a equipe da Unilever reduziu a vantagem do time da casa para dois pontos(18/16). Depois de abrir ótima vantagem, a torcida da casa chegou a sofrer um susto quando a equipe liderada por Fofão e Fabi diminuiu de 24/18 para 24/22, mas o Sesi-SP fechou no ponto seguinte e  reduziu a contagem para 2 sets a 1.

No quarto set, a Unilever voltou mais ligada no jogo e chegou ao primeiro tempo técnico com uma ligeira vantagem (08/07) em ponto de Natália, explorando o bloqueio. A oposto Sarah Pavan ampliou para três a diferença (10/07), mas o Sesi-SP, já com Elisangela e Dani Lins, foi buscar a diferença e virou para 16/15 na parada obrigatória, em ponto de Tandara. O jogo seguiu ponto a ponto ate´a reta final, quando o Sesi-SP virou e teve o primeiro set point (24/23), fechando em 26/24 para delírio dos torcedores. Era o empate e o jogo iria ao tie-break.

No quinto set, já com Jessica e Carol Albuqurque de volta, o Sesi-SP abriu 04/02, mas a Unilever empatou (06/06), em jogo de muitos ralis. As equipes mudaram de quadra com vantagem para as mandantes (08/06), que abriram quatro pontos (11/07) de vantagem com Fabiana Claudino em bola raída pela saida de rede.  A equipe carioca se recuperou e teve seu primeiro match point (14/13). Mas o Sesi-SP, no bloqueio, virou para 15/14 e ganhou a chance de fechar a partida. As equipes foram disputando bola a bola, ponto a ponto - um deles, um ataque de Natália, muito discutido pelos dois times e pelos treinadores – Natália teria atacado para fora, sem que a bola resvalasse no bloqueio. No final, a Unilever fechou por 20/18: 3 sets a 2 em 2h55 de partida.

Notícias Relacionadas