Sesi-SP perde do Rio do Sul na estreia do time feminino na Superliga 2016/17

Próximo compromisso será no Distrito Federal, contra o Brasília Vôlei

- 30/10/2016

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Mesmo estreando em casa, com o apoio da torcida, a equipe feminina do Sesi-SP acabou sofrendo a virada e foi superada no detalhe na noite deste domingo (30/10), em Santo André, pelo Rio do Sul. O placar de 3 set a 1 (25/16, 21/25, 14/25 e 21/25) colocou as adversárias na frente já na primeira rodada da Superliga 2016/17.

O Sesi-SP começou bem na partida. Vibrantes e com o apoio da torcida, as meninas tiveram facilidade em anular o Rio do Sul e garantiram o primeiro set. Na sequência a experiência de algumas jogadoras do lado adversário dificultou o crescimento do Sesi-SP, que sentiu a pressão, se perdeu em alguns momentos e acabou sofrendo a virada.

“Nós começamos muito bem, sacamos bem, acreditamos e fechamos o primeiro set. Na sequência as meninas cresceram, buscaram o resultado e conseguiram. Nosso grupo sentiu a pressão e se perdeu em quadra. Somos novas sim, estamos em fase de crescimento e aprendizagem, mas o começo do jogo demonstrou que nós podemos crescer, lutar e conquistar grandes resultados”, comentou a ponteira Amabilie ao final do jogo.

A partida rendeu à central Camila Paracatu, atleta do Rio do Sul, o troféu Viva Vôlei, concedido à atleta eleita a melhor da partida. Lorenne foi a maior pontuadora do jogo com 23 acertos. Pelo Rio do Sul, Natalie marcou 17 vezes.

Agora, a equipe se prepara para viajar até o Distrito Federal, onde enfrentará o Terracap BRB Brasília Vôlei. A partida está marcada para o dia 5 de novembro, às 18h, no ginásio Sesi Taguatinga.

Sesi-SP perde do Rio do Sul na estreia da Superliga
Foto: Raphael Amoroso/Fiesp-Divulgação

Outubro Rosa

A líbero Lais, da equipe de vôlei do Sesi-SP, usou neste domingo (30) uma camisa rosa durante a partida contra o Rio do Sul em apoio à campanha pela prevenção ao câncer de mama. Além da líbero, as outras atletas prenderam laços rosa no cabelo. A cor simboliza o movimento mundial conhecido como Outubro Rosa, campanha para sensibilizar a população para os riscos e a necessidade de diagnóstico precoce para esse tipo de câncer.

O jogo

O Sesi-SP entrou em quadra com a levantadora Giovana, a oposta Lorenne, as centrais Ju Mello e Linda Jéssica, as ponteiras Amabilie e Natália e a líbero Lais. Entraram Thais, Duda e Mari. O Rio do Sul começou com a levantadora Carol Leite, a oposta Natalie, as centrais Aline e Camila Paracatu, as ponteiras Kasi e Naiara e a líbero Tati. Entraram Fran, Ju Paz, Fran Stedile, Sonaly e Dani.

Com a casa cheia e a torcida a seu favor, o Sesi-SP entrou em quadra confiante, o que se viu desde o primeiro ponto. Com tranquilidade as donas da casa abriram dois momentos de larga vantagem, fazendo com que o técnico do Rio do Sul, Fernando Bonatto, parasse a partida. O primeiro momento foi com a vantagem de quatro pontos logo no começo (5/1) e na sequência as meninas da capital paulista ampliaram para oito pontos a distância após um saque bem colocado da oposta Lorenne (13/4). Preocupado com o placar, Fernando trouxe para o jogo Fran e Ju Paz na inversão do 5-1 no lugar de Carol Leite e Natalie. As meninas chegaram a diminuir a diferença e chegaram aos 19/15 até que Amabilie deu início em mais uma sequência positiva de saques pelo Sesi-SP. Após fazer ponto no fundamento foi a vez da central Linda Jéssica também crescer e fechar o primeiro set do jogo com ponto de saque (25/16).

Diferente do começo da partida, a segunda parcial seguiu mais equilibrada e com as catarinenses pressionando mais o jogo. Errando menos e mais concentradas nos contra-ataque as meninas do Rio do Sul se mantiveram na frente no placar e foram ditando o ritmo do set. Percebendo a dificuldade de recepção da ponteira Natália, o time adversário passou a sacar nela, e com uma sequência de dois erros no fundamento, o Sesi-SP viu o Rio do Sul abrir três pontos de vantagem (7/10). As comandadas do técnico Juba tentaram, Giovana foi feliz ao acionar Amabilie e Lorenne no ataque, chegando ao empate e na sequência virando o marcador em 13/12. Mas Aline e Camila Paracatu não deram vez e fecharam o placar do set (21/25), deixando o jogo empatado.

Sentindo o crescimento do Rio do Sul, o Sesi-SP teve dificuldades de evoluir na terceira parcial. Assim como no começo do jogo, quando as donas da casa abriram vantagem, agora foi a vez da adversária largar na frente sem dar chances para aproximação. Natilie voltou para o jogo após um primeiro set abaixo e na companhia de Aline e Camila Paracatu tomou conta da partida. Juba fez a inversão do 5-1 com Thais e Duda no lugar de Lorenne e Giovana, chegou a conquistar dois pontos, mas não conseguiu parar o time de Fernando, que fechou outra parcial na frente (14/25).

Concentradas e cientes de que precisariam ganhar o set para seguir na briga pela vitória, as meninas da capital paulista voltaram para quadra e abriram 3 a 1 já no início da quarta parcial. Também na busca da vitória na estreia da Superliga, Rio do Sul não se abalou com a torcida e nem com o crescimento das donas da casa e virou o placar em 3/5. Melhores em todos os fundamentos, as catarinenses voltaram a tomar conta do jogo. Destaque no bloqueio, Aline fechou a parede para cima do Sesi-SP enquanto Natalie não deixava escapar os contra-ataques, definindo assim o fim do jogo com 21/25.

Notícias Relacionadas