Sesi-SP luta, mas acaba derrotado na final da Copa São Paulo de Vôlei Masculino

Em jogo de cinco sets, equipe chega a virar mas perde para o Brasil Kirin na Arena Santos

Juan - 02/08/2014

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp, de Santos

Na primeira final da temporada 2014/15, o time masculino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) lutou até o fim, mas acabou sucumbindo e ficando com o vice-campeonato da Copa São Paulo, após a derrota por 3 sets a 2 (16/25, 25/23, 25/22, 23/25 e 08/15) para o Brasil Kirin. O jogo foi disputado no final da tarde deste sábado (02/08), na Arena Santos. Pela primeira vez o Sesi-SP não conquistou a Copa São Paulo, desde que começou a disputá-la.

Sesi-SP Brasil Kirin Copa SP 2014 Equipe jogou com muita raça e equilibrou as ações. 
Foto: Lucas Dantas/Fiesp

Sem contar com três titulares (o central Lucão e os ponteiros Murilo e Lucarelli estão convocados para disputar o Mundial pela seleção brasileira), o Sesi-SP se viu diante de uma equipe mais completa e entrosada. Mas o que poderia sugerir um amplo favoritismo do Brasil Kirin não foi o que se viu em quadra.

Mostrando muita raça e talento, a mescla de jovens e veteranos do time da Vila Leopoldina chegou a virar o placar e fez um quarto set muito equilibrado. No final, melhor para a equipe de Campinas.

O time entrou em quadra com o levantador Marcelinho, o oposto Theo, os ponteiros Alisson e Douglas e os centrais Riad e Aracaju, além do libero Serginho. Entraram Fabio, Thiaguinho, Mão e Rafael Araújo.

Agora, a equipe volta a se preparar para o Campeonato Paulista. A estreia esta marcada para o dia 16 de agosto, um sábado, contra o Santo André.

O jogo

Como era de se esperar, o primeiro set foi nervoso e marcado pelo equilíbrio das equipes. Embora com um time mais experiente e entrosado, o Brasil Kirin não teve nenhuma tranquilidade para jogar, com o Sesi-SP defendendo e atacando muito bem, principalmente com o jovem Douglas Souza. Mas o bloqueio de Vini e Wallace funcionou bem, parando Douglas e Alisson em momentos importantes, como quando o time de Campinas abriu quatro pontos de vantagem (08/12) e forçou o pedido de tempo de Marcos Pacheco. O efeito, porém, não funcionou como previsto, e o Brasil Kirin ampliou a vantagem, abrindo 11/16 no segundo tempo técnico, após ataque para fora de Douglas.

E foram os ataques para fora, como o de Rafael Araújo, abrindo 12/19, que acabaram dando uma vantagem muito difícil de alcançar. Ao Brasil Kirin coube administrar o placar e fechar em 16/25, com ataque de João Paulo Tavares.

Se com Douglas Souza o time arrasou o São Bernardo, com Fabio, que entrou no lugar de Alisson, o Sesi-SP reencontrou o jogo e dominou a metade do segundo set. O jovem camisa 20 defendia, atacava, bloqueava e vibrava, aumentando a confiança dos companheiros, que acertavam todas as jogadas. Os erros diminuíram e as bolas que caiam fora, passaram a dar pontos para o time da Vila Leopoldina, que mantinha uma vantagem de quatro pontos, quando fechou o segundo tempo técnico em 16/12. O técnico do Campinas, Alexandre Stanzioni, colocou o oposto Michael e o time reduziu para dois pontos. Então, Pacheco pediu tempo. O jogo ficou no ponto-a-ponto e ainda contou com erros de arbitragem, quando o juiz de rede viu toque inexistente no bloqueio e deu ponto para o Campinas numa bola que acabou indo para fora. O próprio juiz admitiu que não sabia em quem a bola tocou, mas manteve o ponto. Mas o Sesi-SP manteve a calma e com Riad, pelo meio, fechou em 25/23, empatando a partida.

Quem tomou rédea das ações no início do terceiro set foi o Campinas, abrindo 06/04, mas duas defesas espetaculares de Fábio acabaram em ataques precisos de Theo e Mão, e o time virou o placar. Fabio foi para o saque e o ataque rival acabou para fora, dando o primeiro tempo técnico para o Sesi-SP (08/06). Voltou, então, o cenário do segundo set, com as equipes se alternando na liderança do placar, até o Brasil Kirin conseguir encaixar dois ataques seguidos e levar o segundo tempo técnico em 13/16. Pacheco fez a inversão e, com calma, o time buscou o empate. Foi pelas mãos de Fabio, com um belo ace, que veio o empate em 17/17. Na sequência, Mão bloqueou e o time virou. O time de Campinas começou a cometer erros em seguida e o Sesi-SP aproveitou para fazer 21/18. Com um ataque de Theo vindo do fundo e outro de Wallace para fora e saque de Sandro na rede, o Campinas cedeu mais pontos e o Sesi-SP chegou a 24/22. Com a vantagem, bastava ao Sesi-SP um ponto e ele veio no bloqueio de Riad para cima de Gustavão e fim do terceiro set.

Com um começo arrasador, o Sesi-SP abriu 04/01 no quarto set, com Riad e Fábio fechando o bloqueio para cima do Campinas. Inclusive, no duelo dos jovens Ary com Fábio, o ponta do Sesi-SP ganhou três bloqueios seguidos e no quarto lance do rali, cortou em cima de Ary, para fazer 03/01. Serginho começou a chamar a responsabilidade para comandar o time e orientava a defesa e a distribuição de Marcelinho. Nos erros dos adversários, ele apoiava e abraçava. Nos pontos do Sesi-SP, era o primeiro a comemorar com o autor. O time recebeu o apoio e cresceu, abrindo 09/06, mas deixou o Campinas empatar no saque de Vini. Pacheco chamou para uma conversa. A esfriada serviu para segurar o central do Brasil Kirin, que mandou na rede. Mas nem deu para comemorar muito. Ataque para fora de Riad deu o ponto para os rivais novamente.

E como se esperava de um jogo decisivo, as equipes forçaram e erraram menos, não dando oportunidades para o outro lado. No duelo das maiores forças de São Paulo nas duas últimas edições da Superliga, Sesi-SP e Campinas brigaram pelo quarto set, sabendo que um resultado poderia acabar a competição. Melhor para o Campinas, que teve no ataque para fora de Mão, o 25º ponto e fechou o set em 25/23, forçando o tie break.

No quinto e decisivo set, o Brasil Kirin começou melhor. Com mais raça e acerto nos ataques, o time de Campinas abriu 07/04, aproveitando o erro de saque de Theo. Vini mandou uma bomba no peito de Serginho e ampliou. Daí, o que se viu foi um domínio maior do Campinas, que fechou com Luizinho em 15/08, e ficou com o título.

Notícias Relacionadas