Sesi-SP faz o primeiro jogo em casa na edição 2015/16 da Superliga Masculina

Equipe recebe o Montes Claros nesta quinta-feira (12), às 20h, na Vila Leopoldina

Graciliano Toni - 11/11/2015

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Após boa vitória na estreia de segunda-feira (9/11), no Rio Grande do Sul, contra o Canoas, por 3 sets a 0 (25/22, 25/15 e 25/11), o time masculino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) enfrenta em casa nesta quinta-feira (12/11), às 20h, o Montes Claros Vôlei. Com o apoio da torcida no ginásio da Vila Leopoldina, os atletas, comandados pelo técnico Marcos Pacheco, entram em quadra pela segunda rodada da Superliga 2015/16.

Embaladas pelas vitórias no primeiro jogo da edição, as equipes se preparam para um jogo difícil e muito disputado. Para o central Gustavão, o jogo de amanhã não será fácil, porque, além de a equipe adversária contar com atletas experientes que pesam em momentos decisivos, o grupo ainda vem para São Paulo embalado após uma vitória em casa contra o Taubaté. O camisa 17 acredita em uma briga boa entre as equipes.

“Montes Claros é um adversário que tem nomes como o de André Nascimento, campeão olímpico, experiente e que dá um peso extra ao time. E, assim como a gente, eles vêm motivados após a vitória contra o Taubaté dentro de casa. Mas nosso time está muito bem, coletivamente tem dado muito certo, e esse é o grande diferencial do nosso grupo neste momento. A estreia foi bem legal, fizemos um ótimo jogo em Canoas, então acredito que as duas equipes vêm bem motivadas, será uma briga boa”, comentou Gustavão, que ainda pontua o fator casa como uma das armas para o confronto.

“Para essa partida temos que investir cada vez mais no nosso saque e no nosso bloqueio, que é o que vem funcionando bastante, mas jogar em casa também ajuda muito. Sempre jogamos bem com a nossa torcida empurrando, fizemos ótimos jogos nas finais do Paulista, independentemente do resultado, e isso foi muito bom, ajudou demais o grupo”, finalizou.

Pacheco concorda com o central quando o assunto é a força da torcida. O técnico acredita que o astral e o entrosamento entre torcedores e atletas vão crescer e melhorar cada vez mais.

“Nós temos feitos bons jogos aqui, essa parceria time e torcida está cada vez mais entrosada. Tivemos jogos importantes aqui dentro esse ano na semifinal e final do Paulista e essa ajuda que veio da arquibancada, o apoio, a dedicação e o astral bacana contagiaram muito o time, foi uma parceria muito legal. Agora esperamos que amanhã o ginásio esteja com esse astral e que a gente tenha vantagem e benefícios com essa situação”, comentou Pacheco, que elogiou a atuação do grupo em Canoas e alerta para os cuidados contra a equipe mineira.

“Fizemos um jogo muito bom lá em Canoas, talvez eles tenham jogado um pouco abaixo do padrão deles, mas nós imprimimos um ritmo muito forte, exercemos os trabalhos de boqueio e defesa muito bem, sacamos bem e em lugares que dificultamos as estratégias e as ações de ataques deles, enfim, fizemos um bom jogo.”

“Agora, a equipe de Montes Claros tem um time com jogadores experientes, acostumados a jogar a Superliga. É um grupo que tem um bom entrosamento, e não é só um time em quadra, mas um plantel, onde o Marcelo tem a opção de fazer várias modificações, não de jogador por jogador, mas modificações em termos estratégicos do jogo. Isso já é um ponto a mais para se estudar - além do time base deles, temos que ver as variações, deixando o jogo mais difícil”, finalizou.

Na sétima temporada seguida da Superliga, o Sesi-SP tem um título conquistado na sua segunda participação na competição (2010/11) e dois vice-campeonatos, na temporada 13/14 e na última edição, quando a equipe, pela segunda vez consecutiva, enfrentou o Sada Cruzeiro na disputa por mais um título. Após o confronto desta quinta-feira, o Sesi-SP recebe o Minas Tênis Clube, no sábado (14), às 21h30, também na Vila Leopoldina.

Notícias Relacionadas