Rafa é arma do Sesi-SP para os playoffs da Superliga masculina

Time da Vila Leopoldina recebe o Minas Tênis Clube neste sábado para o primeiro jogo das quartas de final

- 16/03/2017

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Após o empate em número de pontos com o segundo colocado na classificação geral da Superliga masculina 2016/17, o time de vôlei do Sesi-SP chega para a oitava participação consecutiva na fase dos playoffs. Seguindo sempre entre os oito primeiros colocados da competição nacional, nesta temporada o grupo da capital paulista conta com um nome de bagagem. Rafael Martins de Almeida, o Rafa, é uma das peças mais experientes do técnico Marcos Pacheco. Natural de Minas Gerais, Estado do adversário deste fim de semana, o levantador - que participou de todas as edições da competição - acredita que os companheiros ainda têm muita coisa para mostrar.

“A gente tem feito o nosso papel e cumprido um dos principais objetivos, que é disputar todas as finais da temporada. Foi Copa São Paulo, Campeonato Paulista e Copa do Brasil, então na Superliga não será diferente. Será mais uma competição em que vamos brigar para estar na final e na possível conquista do título. Esse campeonato é longo, são atletas que voltam de seleção, é o entrosamento com peças novas num grupo, mas a gente conseguiu manter uma boa média. Agora temos muita coisa para mostrar. Esse é o momento de alinhar tudo, ainda mais com o retorno de peças importantes. Vamos entrar fortes para brigar.”

Além da experiência no momento decisivo em que a Superliga se encontra, Rafa ainda tem mais um bônus a favor de sua equipe, a sua longa passagem pela equipe mineira. Sesi-SP e Minas Tênis Clube se enfrentam neste sábado (18/3), na Vila Leopoldina, às 14h10, com transmissão ao vivo pela RedeTV, no primeiro, dos cinco jogos pelas quartas de final da competição. Na fase de classificação foi uma vitória por 3 a 2 para cada lado, e o levantador não espera nada além de uma decisão acirrada.

“Estamos em uma transição da classificação para o playoff, mas não deixa de ser a continuidade do mesmo campeonato. Eu acho que fizemos um início muito bom, mas agora zera tudo e vamos para confrontos mais difíceis ainda, decisivos em todos os sentidos. E já começaremos com uma equipe muito bem treinada. É possível ver que o time do Minas tem uma estrutura muito boa. É um time, que no linguajar do voleibol, é bem arrumadinho, chato de anular. Vai ser um confronto muito difícil para os dois lados. Tem tudo para ser um melhor de cinco que pega fogo”, analisou Rafa, que além de desenvolver seu papel dentro de quadra, ainda atua como um auxiliar da equipe.

Observador, seja no treino ou no jogo, o camisa 3 não poupa atenção e conselhos para os companheiros. Uma palavra de incentivo após uma bola perdida ou um toque quanto um melhor posicionamento em quadra são algumas das dicas do levantador, que demonstra sua paixão pela modalidade e admite a vontade de continuar na área mesmo após parar de jogar.

“Fui desenvolvendo esse auxilio com o tempo e nessa temporada eu vim com esse intuito. Quando eu fui contratado, além de jogar, vim para dar um suporte para a garotada, compartilhar com eles a minha bagagem. Hoje nos treinos conseguimos fazer confrontos bem legais, o que é muito importante. Com um plantel grande, de qualidade, podemos mostrar para esses meninos como funciona a rotina e isso tudo reflete nos jogos. Tem coisa que eu consigo ver e fica mais fácil para eu opinar. Seja o aproveitamento de uma jogada, ou um toque após um ponto perdido. Esse meu lado está aflorando cada vez mais, eu gosto de compartilhar, eu quero seguir no vôlei mesmo após parar de jogar”, finalizou.

Notícias Relacionadas