Na Superliga masculina, Sesi-SP vence Imperatriz, mas perde chance de aproximação do pelotão de frente

Vitoria por 3 sets a 2 garante apenas dois pontos, insuficiente para buscar melhor posição na tabela; Murilo foi o maior pontuador da partida na Vila Leopoldina

Talita Camargo e Juan Saavedra - 24/02/2013

Jogo de cinco sets teve 2h25 de duração. Foto: Everton Amaro/Fiesp  Jogo de cinco sets teve 2h25 de duração. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 O primeiro set deu a impressão de que o Sesi-SP – na terceira colocação da Superliga masculina 2012/13 – não teria muitas dificuldades para superar o Super Imperatriz Vôlei (penúltimo colocado), em compromisso na tarde de sábado (23/02), no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo. Mas a equipe catarinense teve uma atuação acima da média e o Sesi-SP precisou de cinco sets para fechar a partida por 3 sets a 2 (25/21, 14/25, 22/25, 25/16 e 15/12). O jogo valeu pela nona rodada do returno da Superliga.

A vitória apertada levou o Sesi-SP aos 43 pontos, perdendo a chance de uma maior aproximação das equipes que ocupam o topo da tabela. Com a vitória do Sada Cruzeiro (2º colocado, agora com 46 pontos) sobre o RJX (1º colocado, 47 pontos) também por 3 sets a 2, a equipe mineira manteve a vantagem de três pontos sobre o Sesi-SP.

Murilo, ponteiro do Sesi-SP, foi o maior pontuador da partida, com 22 acertos. Lorena fez 17 pontos e Thiago Barth, 10. O troféu VivaVôlei, de melhor da partida, ficou com o levantador Gelinski, do Super Imperatriz Vôlei. O ponteiro Léo foi o maior pontuador visitante, com 18 acertos.

Na visão do oposto Lorena, que definiu a partida no último ponto com um ataque pela saída da rede, o time do Sesi-SP precisa corrigir os erros para chegar bem na fase de playoffs, que começam em março.

“Vencemos o primeiro set, mas no segundo não entramos para jogar porque achávamos que iríamos vencer fácil. No terceiro, estávamos vencendo e não sei o que aconteceu: deu um branco e perdemos. Acabamos vencendo o jogo, mas essa vitória está com gosto de derrota”, afirmou Lorena. “Não desmerecendo a equipe adversária, mas deixamos um pouco a desejar. “Vacilamos demais e isso não pode acontecer com uma equipe do nível da nossa”, concluiu o oposto do Sesi-SP.

Para o central Éder, que voltou ao time depois de quatro rodadas afastado por lesão, o jogo foi de muitos altos e baixos para o Sesi-SP. “Em vários momentos a gente estava jogando bem, com certa vantagem e diferença de pontos muitos grande, mas deixamos que eles encostassem e ultrapassassem, principalmente no terceiro set, que perdemos por bobeira nossa”, explicou, acrescentando que a equipe precisa corrigir essas falhas. “Temos que trabalhar muito para não cometermos esses erros de novo nos playoffs”, afirmou.

O camisa número 5, Sandro, que voltou às quadras no último confronto da Superliga, concorda que o time da indústria cometeu muitos erros na partida deste sábado. “Nossa equipe vacilou demais, perdeu a cabeça em alguns momentos, o que não pode acontecer, principalmente lá na frente nos playoffs.”

O próximo confronto do Sesi-SP será contra o Funvic/Midia Fone (SP), em Pindamonhangaba (SP), na quinta-feira (28/02), às 20h, com transmissão ao vivo pelo site da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

O jogo

O primeiro set foi um indício de que o time de Florianópolis não iria facilitar. O ponteiro do Imperatriz, Léo, que terminaria a partida com 18 pontos, superava o bloqueio do Sesi-SP. Do lado dos donos da casa, Cléber começou bem, marcando três pontos logo no inicio. As equipes foram para a primeira parada obrigatória com ligeira vantagem dos visitantes: 08/07. Na volta, o Sesi-SP conseguiu virar e abrir três de vantagem, mas o Imperatriz empatou (15/15). Tiago Barth, bem no jogo, fez o ponto da segunda parada técnica (16/15). O ponto mais bonito só primeiro set foi em contra-ataque: depois de bela defesa de Serginho, Murilo levanta no fundo da quadra e Cléber finaliza (20/18). Giovane Gávio colocou em quadra o levantador Everaldo e Leozão. O primeiro set foi encerrado em um erro do adversário: 25/21.

O segundo set começou equilibrado (04/04), mas o time de Florianópolis chegou ao primeiro tempo técnico obrigatório na frente (08/06). A vantagem foi ampliada para cinco pontos em ataque de Léo (16/11). "Vamos buscar esse jogo que ainda dá", pediu o técnico do Sesi-SP, Giovane Gávio. Mas o Imperatriz foi soberano e construiu uma diferença inacreditável: 25/14 e jogo empatado com um set para cada lado.

Murilo (camisa 08) liderou a pontuação do jogo, com 22 acertos. Foto: Everton Amaro/Fiesp
Foto: Foto: Everton Amaro/Fiesp
Murilo (camisa 08) liderou a pontuação do jogo, com 22 acertos. 

No terceiro set, depois de um início equilibrado, com o Sesi-SP chegando à primeira parada técnica com apenas um ponto de vantagem (08/07), a equipe da casa parecia que ia deslanchar e abriu 11/08 com um bloqueio do central Eder. O Sesi-SP ampliou para cinco pontos na segunda parada obrigatória (16/11), mas daí em diante a equipe catarinense começou a forçar o saque, quebrando a recepção paulista. Em erro de Lorena, a diferença caiu para dois pontos, levando Giovane a pedir tempo. O Imperatriz empatou (20/20) e Giovane substituiu Cléber pelo ponteiro-passador Ary. Em seguida, Everaldo entrou no lugar de Sandro. O Sesi-SP só conseguiu pontuar depois sete acertos seguidos do adversário. Melhor em quadra, o Imperatriz fechou em 25/21 e fez 2 sets 1 para a incredulidade da torcida na Vila Leopoldina - da segunda parada técnica em diante o Sesi-SP acerta apenas cinco pontos contra 14 do adversário.

O Sesi-SP voltou para o quarto set mais determinado e forçou um pedido de tempo adversário ao abrir quatro ponto de vantagem logo no início (05/01). A vantagem subiu para seis pontos na parada obrigatória (08/02) em ataque de Ary. O capitão Murilo começou a mostrar o talento de quem foi eleito o melhor do mundo no campeonato mundial de 2010 e MVP dos Jogos Olímpicos Londres-2012. O Sesi-SP manteve a vantagem de seis pontos na segunda parada (16/10), em ponto de bloqueio de Éder e abriu margem de 12 pontos (23/11) em ataque de Murilo. O set point veio com mais um ponto do capitão do Sesi-SP (24/11). O Imperatriz ensaiou uma reação, mas a vantagem era imensa e Murilo explorou o bloqueio para fazer 25/16 e empatar a partida: 2 sets a 2. O ponteiro-passador fez nove pontos somente no quarto set.

No tie-break, o Sesi-SP teve dificuldades com o saque forçado do Imperatriz, que abriu 03/01. O Sesi-SP virou com Murilo (06/05) depois de uma bola resgatada no fundo por Lorena, em ponto muito festejado. As equipes viraram de quadra com o Sesi-SP em vantagem (08/06), mas o time de Florianópolis mostrou que estava vivo no jogo e empatou (09/09). Murilo fez 10/09 e Eder consertou uma bola levantada fora do tempo para abrir dois pontos (12/10). O match point veio com o oposto Lorena (14/11), que definiu o jogo com ataque pela saída de rede (15/12).  Vitória por 3 sets a 2 em duas horas e vinte cinco minutos de partida.


Notícias Relacionadas