Na estreia de Douglas Souza, Sesi-SP vence São Bernardo e vai à final da Copa São Paulo de Vôlei masculino

Jovem ponteiro chegou no dia da partida e se tornou o melhor jogador em quadra com 11 pontos

Juan - 01/08/2014

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp, de Santos 

Douglas Souza tem 18 anos, chegou no dia da partida, fez um treino, vestiu a camisa 13 e acabou com o jogo. Com a lesão do ponteiro Mão, o garoto virou titular da equipe e chamou a responsabilidade na vitória por 3 sets a 0 sobre São Bernardo (25/16, 25/11 e 25/22), garantindo a vaga na final, que será disputada neste sábado (02/08), na Arena Santos, às 16h, contra o Vôlei Brasil Kirin de Campinas.

Com 11 pontos, Douglas Souza surpreendeu até seus companheiros mais experientes. O levantador e capitão Marcelinho ficou bem feliz com o reforço", mas admitiu que "nem sabia direito quem ele era". O treinador Marcos Pacheco também ficou satisfeito, principalmente com a personalidade do jogador.

"Ele chegou hoje, fez uma longa viagem de avião, depois outra de ônibus, entrou aqui de mochila, fez um treino e jogou muito bem. Mostrou muita vontade e entrega. Um garoto muito jovem que não sentiu a estreia", disse o técnico.

O próprio Douglas não esperava um jogo tão bom e admitiu que sentiu algo especial ao se ver no meio de uma equipe com Marcelinho, Serginho e Riad.

"Foi uma estreia muito feliz, incrível. Estou bem contente de tudo ter dado tão certo para a equipe. Mais do que a atuação pessoal, fico muito feliz pelo resultado obtido. Claro que jogar com essas feras me dá um ânimo enorme e não posso fingir que não mexeu com a minha cabeça, mas o Pacheco me disse para entrar e fazer meu jogo. Ainda bem que deu tudo certo", disse o ponteiro que vestiu a camisa 13.

O Sesi-SP entrou em quadra com o levantador Marcelinho, o oposto Theo, os ponteiros Alisson e Douglas e os centrais Riad e Aracaju. Entraram Fabio, Rogério, Thales, Rafael e Thiaguinho.

O jogo

O Sesi-SP começou de forma arrasadora. Riad atacando pelo meio abriu os trabalhos. Douglas Souza soltou o braço fazendo 02/00. Riad, de novo, no bloqueio e no ataque, ampliou para 4-0 e forçou o pedido de tempo do técnico do São Bernardo, Douglas Chiarotti. Deu certo e a equipe do ABC reduziu para um ponto a diferença. O jogo então equilibrou e o São Bernardo igualou as ações, até conseguir, após saque na rede de Theo, fechar o primeiro tempo técnico em 07/08. Foi a vez de Pacheco aproveitar a pausa e acertar a equipe. Alisson foi para o saque com 08/08 e não parou mais. Cinco pontos seguidos e a vantagem de 13/08 para o Sesi-SP começou a desenhar a história do set. O jogo do time da Vila se acertou, com Marcelinho usando bem as opções de Alisson, Aracajú e Douglas para acumular mais gordura. Assim, o Sesi-SP abriu 16/10, no segundo tempo técnico. Daí foi só segurar a vantagem e com ace de Alisson, fechar em 25/16.

No início do segundo set, Riad mostrou que seria complicado superar seu bloqueio, fechando em cima de Edy duas vezes e abrindo 04/01. Com a vantagem, o time continuou mantendo o controle do jogo, aproveitando os bons saques de Douglas e Alisson, para fechar o primeiro tempo técnico em 08/03. Douglas, aliás, mostrou o quanto será importante na temporada. Na rede ou vindo do fundo, o garoto que se juntou ao time no dia do jogo parecia ter um entrosamento de anos com Marcelinho e virava praticamente todas as bolas. E o time acompanhou o ritmo intenso, fazendo um segundo set acima da média. Após mais um ace de Theo, o Sesi-SP abriu 16/05, fechando o segundo tempo técnico com uma vantagem bem segura. Depois foi só administrar para fechar em 25/11 e colocar um pé na final.

No terceiro set, Douglas já começou desequilibrando. Três aces seguidos abriram 04/01, arrancando aplausos do ginásio inteiro. Com Rafael e Rogério nos lugares de Theo e Aracajú, o time manteve o nível, comandando o jogo sem dar chances ao adversário, abrindo 08/02. O São Bernardo tratou de equilibrar a partida, pois só a vitória interessava para manter vivas as chances de uma final. O Sesi-SP também errou mais, dando 12 pontos para os rivais, que tinham em Edy e Baiano suas maiores armas.
Diferentemente dos sets anteriores, o time da Vila não conseguiu abrir grande vantagem, mas soube administrar com a experiência, reencontrou seu jogo e fechou em 25/22, garantindo a vaga na final de sábado.

Notícias Relacionadas