Experiente, time masculino de vôlei do Sesi-SP estreia em mais uma edição da Superliga

Equipe da capital paulista já está preparada para o confronto desta quinta-feira (27), às 21h30, em Maringá

- 27/10/2016

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

E foi dada a largada para a 23ª edição da Superliga Masculina. Depois da Copa São Paulo e do Campeonato Paulista, vai começar o principal campeonato de vôlei do país. Com campeões olímpicos, mundiais e velhos conhecidos, a temporada 2016/2017 promete ser das mais disputadas. E o time masculino do Sesi-SP já está preparado para mais uma campanha, que começa nesta quinta-feira (27/10), contra o Copel Telecom Maringá, fora de casa, às 21h30, com transmissão pelo canal de TV por assinatura SporTV.

Experiência e garra o time da capital paulista tem de sobra. Após o vice-campeonato no estadual, a equipe da indústria chega para mais uma edição com força total, na qual busca o segundo título nacional. Para o veterano Serginho, além da ansiedade em estrear na competição, a equipe precisa estar atenta à pressão que virá de Maringá.

“Estamos ansiosos para estrear logo. Vamos jogar contra uma equipe que tem uma das maiores torcidas da Superliga, toda vez que a gente vai no Chico Neto é casa cheia. Eles estão com um time diferente, um técnico que praticamente esteve na seleção brasileira durante alguns anos, que sabe tudo de voleibol, e dentro de quadra é comandado por um levantador que desequilibra, que é o Ricardinho. Então temos que tomar muito cuidado, será uma estreia boa para gente, porém muito perigosa”, alertou o líbero.

A equipe paulista, reforçada em dois setores fundamentais, procurou suprir ausências que se mostraram importantes na temporada passada e manteve peças chaves. O técnico Marcos Pacheco recebeu os campeões olímpicos Lucão e Bruninho, repatriados da Itália, após defenderem o Modena, além do levantador Rafa. Serginho e Douglas Souza, também medalhistas na Rio 2016, além de Murilo, Sidão e Theo permanecem no time.

Para o camisa 8, capitão do time, além das contratações, que colocam o Sesi-SP em condições de lutar mais uma vez pelo título, os jovens vindos da base também terão papel fundamental na disputa.

“O Sesi-SP fez contratações de peso e investiu para estar entre as principais equipes desta edição. Mas, além dos campeões olímpicos, temos também jovens revelações no nosso elenco que vão ajudar e até mesmo surpreender, como foi o caso do Douglas e do Aracaju na última temporada.” 

Na oitava temporada seguida da Superliga, o Sesi-SP, campeão no segundo ano de criação (2010/11), busca o segundo título após ficar com o quarto lugar na edição passada e um vice-campeonato na temporada 2014/15, quando eliminou o Taubaté e encarou o Sada Cruzeiro na briga pelo título.

Notícias Relacionadas