Equipe de polo aquático do Sesi-SP realiza uma série de treinos na China

O time paulista já passou por Xangai e agora treina em Shundee, província de Guongzhu

Ariett - 09/09/2014

Agência Indusnet Fiesp

O time de polo aquático do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) embarcou no último dia 31 de agosto para a China, onde realiza uma série de treinos. Com o objetivo de jogar com outros times e desenvolver novas táticas, a equipe passou por Xangai, onde treinou contra a seleção local e agora se encontram em Shundee, na província de Guongzhu, onde treinam contra a seleção chinesa.

Para o técnico André Avallone, os treinos na China ajudarão muito a equipe paulista, tanto na parte tática, quanto pessoal. “Em primeiro lugar, estamos jogando contra diferentes times. Em São Paulo treinamos apenas com os times locais. Além disso, nossa equipe fica 100% focada nos treinamentos. Essa fase é muito importante pois estamos desenvolvendo o conteúdo tático e provando estratégias, de acordo com nossas necessidades. Estar em outro pais jogando, também nos ajuda a evoluir como pessoas e profissionais. Aprendemos novas culturas e novas experiências”, afirmou.

Entre os atletas que viajaram para a China, além do time adulto, que irá jogar a Liga Nacional, o técnico também optou por levar atletas mais jovens do sub-17, como Beto de Freitas, André Cauchick, Gabriel Sojo e Marcos Paulo, para participar dos treinos e aprimorar conhecimentos. Na relação dos jogadores adultos estão os goleiros Chagas, Cirilo e Mateus Chuleta, os defensores Junior e Arthur e os atacantes Pedro, Henrique, Canhoto, Gabriel e Tony, que acabou se tornando o embaixador da equipe nos país. Assediado pelas seleções masculina e feminina, por onde o time passa, o jogador é solicitado para tirar fotos e conversar com os atletas.

Com o campeonato nacional marcado para o final desse mês, a China se encontra no mesmo nível que o Brasil no cenário mundial do polo aquático. A equipe feminina teve uma grande evolução com as olimpíadas de Pequim, já o masculino sofre um pouco mais por conta da força que os times europeus têm no cenário mundial.

Diferente dos esportes individuais, onde os atletas chineses começam a praticar desde cedo, os esportes coletivos parecem não ser tão frequentados pelos pequenos. No país onde os atletas são escolhidos para praticar os esportes de acordo com o biótipo, o técnico do time paulista acredita que esses fatores sejam os diferenciais do país.

“Existem muitos atletas, mas não vi crianças praticando polo aquático. Isso pode ser um diferencial dos esportes individuais com relação aos coletivos. Os chineses nunca foram tão bons em esportes coletivos e sim em esportes individuais, como no ping pong, ginástica olímpica, natação. Existe um ranking de importância nos esportes aqui e, caso dois esportes se interessem pelo mesmo atleta, o esporte mais importante fica com ele”, completou.

Aproveitando tudo o que tem à disposição durante os jogos e treinos fora de seu país, Avallone deseja trabalhar de tudo um pouco com sua equipe. “Pretendo trabalhar a equipe em geral e a parte tática será prioridade. Porém, com a sequência de jogos administrada corretamente, estaremos trabalhando o condicionamento físico também. Estou aproveitando a disponibilidade de todos para acertar todos os detalhes táticos por meio de vídeos individuais e de grupo”, finalizou o técnico.

O time retorna para o Brasil no dia 15 de setembro e se prepara para enfrentar o Jundiaiense, em Bauru, às 12h15, pelo 2º turno do Campeonato Paulista.

Notícias Relacionadas