Em jogo emocionante, Sesi-SP ganha prata na Liga Nacional de Polo Aquático

Partida contra o Botafogo foi decidida nos 15 segundos finais

Graciliano Toni - 27/09/2015

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp 

Em partida decidida apenas nos 15 segundos finais, o time masculino de polo aquático do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) conquistou o vice-campeonato da Liga Nacional 2015. Após passarem pelo Paulistano na semifinal (8-7), os comandados do técnico André Avallone chegaram para a final deste domingo (27/9) contra o Botafogo com o objetivo de garantir o bicampeonato na competição. Ficando atrás no placar por apenas um gol de diferença (10-11, com parciais de 2-4, 2-2, 4-3 e 2-2) a equipe da Vila Leopoldina não conseguiu segurar o ataque final dos cariocas, que conquistaram o primeiro título na competição.

Disputada chute a chute, a partida entre Sesi-SP e Botafogo contou com muitas emoções, dentro e fora da piscina. Empatados no placar na maioria do tempo, os atletas duelavam dentro da água em busca do resultado, com direito até à expulsão do goleiro Chagas, do Sesi-SP, dando lugar ao jovem Cirilo. Do lado de fora, os gritos das torcidas, o apoio ao goleiro paulista e o nervosismo dos técnicos foram mais um complemento para o jogo.

“Nesse formato de competição, eu não sei para quem é bom isso, porque você jogar esse número de jogos que fizemos, eu não consigo ver o benefício disso. Para essa final, era esse o jogo que a gente queria, chegar no fim e virar o placar. A gente sabia que o time do Botafogo viria forte, é uma seleção que foi feita para essas duas semanas. O último lance da partida foi muito duvidoso, mas não deu, paciência”, comentou Avallone ao final da partida.      

Os gols do Sesi-SP foram marcados por Tony Azevedo (5), Paulo Salemi (3), Rudá Franco e Gustavo Guimarães “Grummy”.

Rudá com a taça
O capitão do Sesi-SP, Rudá Franco, ergue a taça de vice. Foto: Flávio Perez / Onboard Sports

 

O jogo

O primeiro quarto começou com a equipe do Sesi-SP chegando primeiro na bola e abrindo o placar com Paulo Salemi. Na sequência, foi a vez de Grummy e Rudá acertarem uma tabela, resultando no segundo gol da equipe. Mas o Botafogo não ficou atrás; após dois bons contra-ataques, o segundo com a equipe do Sesi-SP sem Grummy, expulso, os cariocas avançaram e igualaram o placar em 2 a 2. Atacando com mais velocidade e bloqueando o ataque do time da capital paulista, os cariocas viraram o marcador e terminaram a primeira parte jogo na frente, com 4 a 2.

Gustavo Guimarães “Grummy” começou o quarto seguinte marcando para o Sesi-SP e colocando a equipe na cola dos adversários. Em um contra-ataque rápido após um gol do Botafogo, Braga avançou e diminuiu a vantagem dos adversários para apenas um gol (4-5). Faltando menos de dois minutos para o fim do quarto, Grummy sofreu mais uma expulsão, após cometer a segunda falta pessoal, e a equipe do Sesi-SP voltou a ficar atrás por dois gols de vantagem do Botafogo (4-6).

O terceiro quarto começou melhor para a equipe da Vila Leopoldina, que com dois minutos de jogo chegou ao empate com gols de Pedro Borges e Braga (6-6). Na sequência, os times mantiveram a força e as jogadas rápidas. Em partida de muitos contra-ataques, a igualdade no placar era frequente (8-8). Em jogada polêmica, o goleiro Marcelo Chagas, do Sesi-SP, foi acusado de puxar a rede para baixo em ataque do Botafogo e acabou expulso, substituído pelo jovem Cirilo. O placar do terceiro quarto acabou em 8-9.

No quarto e último período, embalado pela torcida presente, que gritava o nome de Cirilo, o Sesi-SP acertou uma boa defesa e empatou o placar após gol de Braga (9-9). Com Botafogo mais uma vez na frente com um gol de vantagem, Grummy sofreu a falta na área de ataque, mas, na hora de converter o pênalti, o goleiro do time carioca foi melhor, impedindo o Sesi-SP de igualar mais uma vez o marcador (9-10). Faltando apenas 15 segundos para o fim da partida, Paulo Salemi fez uma defesa espetacular e avançou para a área de ataque, resultando no gol de empate de Tony Azevedo (10-10). Mas, quando parecia que a decisão seguiria para os acréscimos, o time do Botafogo cresceu e no último segundo do jogo marcou, somando o placar de 11 a 10.

Rumo ao Rio

Com o fim da Liga Nacional 2015, os jogadores selecionáveis do Brasil foram inseridos nas principais e fortes Ligas europeias visando a uma preparação mais apurada para os Jogos Rio 2016. Vão atuar na Itália Paulo Salemi e Gustavo Guimarães “Grummy”. Para a Croácia vai Bernardo Reis “Braga”. Rudá Franco atuará na Espanha.

Histórico da Liga Nacional de Polo Aquático Masculino

 

2008 - 1) Pinheiros / 2) Fluminense / 3) Flamengo / Artilheiro Beto Seabra, 51 gols, e goleiro menos vazado Marcelo Chagas, ambos do Fluminense. 

 

2009 – 1) Pinheiros / 2) Fluminense / 3) Botafogo / Artilheiro André "Quito" Raposo, 33 gols, e goleiro menos vazado, Thyê Matos, ambos do Fluminense. 

 

2010 – 1) Pinheiros / 2) Fluminense / 3) Paulistano / Artilheiro Gabriel Reis, 40 gols, e goleiro menos vazado, Thyê Matos, ambos do Fluminense. 

 

2011 – 1) Fluminense / 2) Pinheiros / 3) Sesi-SP / Artilheiro Grummy, do Sesi, 50 gols, e goleiro menos vazado, Marcelo Chagas, do Fluminense.

 

2012 – 1) Fluminense / 2) Pinheiros / 3) Sesi-SP / Artilheiro Marcelo Franco, do Pinheiros, 36 gols, e goleiro menos vazado, Marcelo Chagas, do Fluminense. 

 

2013 - 1) Fluminense / 2) Sesi-SP / 3) Pinheiros / Artilheiros Felipe Perrone, do Fluminense, e Marcelo Franco, do Pinheiros, empatados com 49 gols, e goleiro menos vazado, Marcelo Chagas, do Fluminense. 

 

2014 - 1) Sesi-SP / 2) Pinheiros / 3) Paulistano / Artilheiro Gustavo Coutinho, do Paulistano, 59 gols, e goleiro menos vazado, Slobodan Soro, do Fluminense.  

 

2015 - 1) Botafogo  / 2) Sesi-SP /  3) Pinheiros / Artilheiro Gustavo Coutinho, do Paulistano, com 40 gols, e goleiro menos vazado, Slobodan Soro, do Botafogo.

Notícias Relacionadas