Em casa, Sesi-SP é derrotado pelo Sada/Cruzeiro e perde invencibilidade na Superliga

Superior, time mineiro venceu por 3 sets a 0; jogo foi realizado na noite de terça-feira (03/12)

Juan - 04/12/2013

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

O time lutou muito, mas não foi dessa vez que os jogadores do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) deram o troco no Sada/Cruzeiro pela eliminação na semifinal da Superliga 2012/2013. Demonstrando superioridade técnica desde o primeiro set, a equipe de Minas Gerais venceu o time comandado pelo técnico Marcos Pacheco por 3 sets a 0 (21/14, 21/16 e 21/14), em jogo realizado na noite de terça-feira (03/12), no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo.

Em noite inspirada, o Sada/Cruzeiro soube utilizar a força de seu saque e a qualidade do bloqueio para neutralizar os donos da casa. Destaques individuais para o oposto Wallace, o ponteiro Leal e o levantador William, todos do Sada/Cruzeiro.

Após o jogo, o central Lucão destacou a qualidade do saque do rival, que, em sua opinião, fez a diferença no resultado final. “O saque deles entrou na partida de hoje e deu a vitória para eles.

Lucão reconheceu a qualidade dos adversários. “Eles estão um passo à nossa frente e são o time a ser batido dentro da Superliga”, avaliou.

Um dos melhores da partida, Wallace disse após o jogo que a partida foi difícil e que o Sada/Cruzeiro se superou para vencer a partida. “Não foi fácil. Conseguimos esse ótimo placar porque nosso saque acabou entrando e desmontou o Sesi-SP”, disse o oposto.

Com o resultado, o Sesi-SP perde a invencibilidade na competição. Agora, são sete vitórias e uma derrota na edição 2013/2014. O time iniciou a partida com Lucão, o ponta Lucarelli, o central Rogério,  o oposto Evandro, o ponta Ary, o levantador Sandro, com Serginho de líbero. Entraram Manius, Murilo, Renan e Thiaguinho.

O jogo

O primeiro set começou bastante movimentado, com as equipes alternando-se à frente do placar. Na primeira parada técnica obrigatória, o Sada/Cruzeiro já dava indícios de como seria o set e vencia por 5 a 2.  Sabendo utilizar a altura e os saques de Wallace, o Sada/Cruzeiro logo abriu uma boa vantagem no placar (09/04), com pouco mais de oito minutos jogados.

Na tentativa de impedir que o Sada/Cruzeiro ampliasse ainda mais a diferença, o técnico Marcos Pacheco sacou o ponteiro-passador Ary e colocou Manius. A alteração não fez o efeito esperado e a equipe rival continuou sendo melhor, graças aos ataques certeiros do cubano Leal e dos bloqueios de Isac.

Renan e Thiaguinho entraram como último recurso para tentar mudar o destino do primeiro set, mas não teve jeito. Final da primeira etapa: 21/14 para os visitantes, em 22 minutos.

A segunda etapa foi de mais equilíbrio, com o bloqueio do Sesi-SP, formado por Rogério e Renan, funcionando bem.  Entretanto, o Sada/Cruzeiro continuava a se manter à frente na contagem. O primeiro tempo técnico, o placar era de 07/05, para os visitantes.

No meio da segunda etapa, o Sesi-SP passou a equilibrar o jogo, utilizando mais o ponta Lucarelli. E se aproximou do placar (16/14).  Mas o dia era da equipe rival. Mesmo com a entrada de Murilo no final da etapa, o Sada/Cruzeiro fechou o segundo set em 21/16.

O terceiro set continuou sendo do Sada/Cruzeiro que, mesmo depois de um começo de set bastante equilibrado, voltou a abrir boa diferença no placar, fechando o terceiro set em 21/14 e o jogo em 3 sets a 0.

Notícias Relacionadas