Em busca do terceiro título paulista seguido, Sesi-SP reedita com time de Campinas as duas últimas finais estaduais

Sesi-SP quer sua quarta taça em cinco finais. Brasil Kirin foi a única equipe a vencer o time da indústria em 2013

Ariett - 25/10/2013

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Chegou a hora da decisão. Após dez jogos e apenas uma derrota, o Sesi-SP disputa, neste domingo (27), a primeira partida da final do Campeonato Paulista 2013 masculino. O adversário é o Brasil Vôlei Kirin, de Campinas, na Vila Leopoldina, a partir das 13h. O time da casa vai em busca do inédito tricampeonato e do quarto título estadual ao todo. Campeão em 2009, 2011 e 2012, o Sesi-Sagora agora teve sua sequência interrompida em 2010 pelo Araçatuba, mas retomou a hegemonia e, nos últimos dois anos, decidiu contra o próprio Brasil Kirin (que atuava com o nome de Medley Campinas), conquistando a taça nas duas oportunidades. E a única derrota até então nesta temporada foi exatamente para o adversário de domingo, ainda na fase de classificação, por 3 a 2, na Vila. O camisa 7 Evandro confessou que, mesmo com outros focos, o time pensou demais na decisão: “Não há maior empolgação que disputar uma final”.

“Já estamos pensando neles tem um tempo, sim. Não é nem na final exatamente, mas no Kirin mesmo, porque foi nossa única derrota na temporada. O Sesi-SP foi feito para ganhar e vamos entrar para ganhar. Já estar numa final é a principal motivação, mas sendo eles do outro lado, tem uma diferença também”, afirmou o oposto, maior pontuador do time no campeonato, com 125 pontos.

Participante das outras duas conquistas, o levantador e capitão Sandro não quis falar em vingança e apontou o momento como diferencial para a decisão que começa domingo. Para ele, o Sesi-SP tinha um time em formação na primeira partida. Agora já é uma equipe bem diferente e muito mais entrosada.

“Aquele jogo foi muito equilibrado, estávamos com a equipe se entrosando, muitas peças novas, e eles levaram no quinto set. Não tem sentimento de vingança, a motivação é a final mesmo. Não tem motivação melhor. Mas hoje a equipe evoluiu, viramos um conjunto, e isso é importante para continuarmos na pegada, que vem melhorando a cada jogo. Sabemos quanto o Sesi-SP valoriza o Campeonato Paulista e a dimensão dessa conquistas. Foram quatro finais e três títulos. Vamos firme em busca de mais um”, disse o capitão da equipe.

Sandro também elogiou o rival e não quis fazer comparações com as finais anteriores. Para o camisa 5, esta decisão será bem diferente, mas espera que com o mesmo desfecho.

“Cada final tem sua história. O Brasil Kirin é uma equipe que a gente conhece muito bem, que nos últimos anos enfrentamos no Paulista, em playoffs da Superliga... A equipe não mudou muito. Mas temos tudo para fazer uma grande final, temos atletas acostumados a esse momento, que gostam de decisão. O trabalho é feito pensando nesse momento, e estamos nos entrosando. O Lucarelli já está treinando mais e conhecendo melhor a equipe. Fizemos um ótimo jogo contra o Canoas, serviu como parâmetro para entramos fortes na final”, completou.

Além de Sandro, outro personagem-chave desta decisão está no banco de reservas. O técnico Marcos Pacheco treinava o Campinas nas duas decisões anteriores. Agora, comandando o Sesi-SP, Pacheco diz que o título paulista é uma ambição pessoal, além e coroar o início do próprio ciclo no time da indústria, que espera ser longo.

“Tenho muitas ambições pessoais e profissionais aqui no Sesi-SP e o primeiro objetivo é esse Paulista. A gente vive em ciclos, e estou iniciando outro aqui. Espero que seja duradouro, como sempre, e o primeiro passo é esse título”, disse Pacheco, que afirmou ainda sentir um frio na barriga antes das finais. “Com certeza tenho frio na briga. No momento que não der mais, parei. Vou pra casa pescar, fazer churrasco”.

Pacheco também falou que o Campinas sempre esteve nos estudos da comissão técnica, mesmo que involuntariamente, pois ao analisar os vídeos dos adversários a cada jogo, muitas vezes o rival de domingo estava lá. E não tinha como não olhar.

“Muitos adversários que enfrentamos jogaram contra Campinas. Então, fatalmente nós víamos os jogos do Campinas. Inevitavelmente olhávamos e víamos como funcionava. Nós costumamos dizer que existem dois chips. Um da Superliga e outro do Paulista. Agora trocamos para o do Paulista, mas naturalmente já dávamos uma olhada sim no time de Campinas”, entregou o técnico, que vê sua equipe pronta para a decisão, com pequenos detalhes a corrigir, mas preparada e confiante para fazer um grande jogo.

“O Sesi-SP tem grandes personagens, talentosos, com grandes conquistas. Buscamos nesse momento transformar isso num time coeso, competitivo, que joga dentro dos seus limites e virtudes, minimizando as ações do adversário. Não é de uma hora para outra. Tem de evoluir ainda, tem coisas para melhorar, mas o time chega muito bem para a final. Temos confiança e estamos num momento muito bom”, finalizou o treinador.

O Campeonato Paulista de 2013 será decidido após dois jogos. A segunda partida será realizada na quinta-feira (31) em Campinas, no ginásio do Taquaral, às 19h. Caso cada equipe vença um jogo, haverá a disputa do Golden Set após a segunda partida para se definir o campeão estadual.

A partida de domingo terá transmissão do Sportv, e a entrada no ginásio da Vila Leopoldina é gratuita. Fotos da partida serão disponibilizadas em tempo real na fanpage do time no Facebook: facebook.com/sesisp.volei

Notícias Relacionadas