Avaliação diagnóstica no futebol é tema de mesa redonda em evento na Fiesp

VI Curso Internacional de Futebol Brasil-Inglaterra foi realizado no dia 14 de abril, no Teatro do Sesi-SP

Juan - 14/04/2014

Amanda Viana, Agência Indusnet Fiesp

Parte da agenda do VI Curso Internacional de Futebol Brasil-Inglaterra, evento que aconteceu ao longo desta segunda-feira (14/04) no Teatro do Sesi-SP, a mesa redonda “Avaliação diagnóstica no futebol e futsal” recebeu três palestrantes: Luis Fernando de Barros (Santos Futebol Clube), Paulo Zogaib (Sesi-SP e Sociedade Esportiva Palmeiras) e Nabil Ghorayeb (Dante Pazzanese e Hcor).

Luis Fernando de Barros comentou sobre a sua experiência como fisiologista no Santos Futebol Clube.  Segundo ele, há uma exigência cada vez maior em relação ao desempenho dos jogadores, e o calendário de partidas é muito “apertado”, ou seja, as partidas são realizadas em um curto espaço de tempo. “Com esse calendário complicado, as partidas ficam muito próximas umas das outras, o que não nos permite ter tempo de treinar adequadamente os atletas, aumentando assim o número de lesões”, explicou.

O especialista afirmou que duas partidas na mesma semana aumentam as chances de que lesões aconteçam com os jogadores: “Falta tempo para treinamento, preparação e recuperação dos atletas”.

Barros apresentou vários tipos de avaliações e exames, como resistência aeróbica, velocidade, agilidade, força, hidratação e sudorese, dosagem de CK (creatina quinase) e exercícios funcionais. Com o objetivo de otimizar a capacidade de cada jogador, o fisiologista disse que é necessária uma avaliação diagnóstica adequada e individualizada para os jogadores.

Paulo Zogaib, médico do Palmeiras, falou sobre o futebol como forma de esporte democrático: “O perfil, biotipo e idade dos jogadores podem variar bastante. O futebol é um esporte misto, que permite características variadas dos jogadores”, afirmou. Zogaib apresentou comparações de perfis de jogadores de várias partes do mundo, como altura, peso, idade e desempenho. O resultado mostrou números equilibrados e parecidos.

O médico apresentou estudos e pesquisas realizados, e o programa de treinamento do time, que é baseado nas características individuais de cada jogador. Zogaib não deixou de comentar sobre o difícil calendário de jogos, sobre a grande exigência metabólica em relação aos jogadores e a falta de tempo para treinamento e recuperação dos atletas, o que favorece o alto índice de lesões. Ele comentou ainda sobre a ideia de se fazer um diagnóstico, conhecendo o estado atual do atleta e usar essas informações como parâmetro para desenvolvimento.

Sobre o assunto de morte súbita no esporte, o responsável pela discussão deste tema foi o Prof. Dr. Nabil Ghorayeb, cardiologista e médico de esporte. Ghorayeb apresentou casos reais, dados, estudos e pesquisas sobre mortes súbitas no esporte e no futebol. “Apenas em 2014, já são oito casos de mortes súbitas de atletas brasileiros que morreram no esporte”, afirmou. Segundo ele, há uma estimativa de crescimento de 2% a 4% no ano, e não existem registros oficiais de federações esportivas, por exemplo, pois não querem que essas mortes sejam divulgadas.

Ghorayeb trouxe para a discussão as possíveis causas da morte súbita no futebol, análises críticas e as dificuldades encontradas para que se possa descobrir a causa dessas mortes. Ele criticou a falta de credibilidade de exames que poderiam evitar mortes, o atendimento precário e a falta de conhecimento, de uma forma geral.

“Atividades físicas e esportes, por si só, não causam mortes. Excessos, abusos e doenças pré-existentes, sim”, afirmou o médico. Ghorayeb afirmou que é preciso incentivar a população a fazer exercícios físicos e a cuidar de sua saúde. “Esporte é para quem pode, e não para quem quer. É preciso estar atento e se cuidar”, alertou.

Após as apresentações dos palestrantes, o painel foi aberto para perguntas e discussões.

O VI Curso Internacional de Futebol Brasil-Inglaterra acontece em São Paulo, de 14 de abril no Teatro do Sesi-SP e de 15 a 18 de abril na Escola de Educação Física e Esporte da USP (Av. Prof. Mello Moraes – Cidade Universitária).

O evento é resultado de uma parceria do Sesi-SP com a Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (EEFE-USP) e com a Universidade de Worcester, da Inglaterra.

Notícias Relacionadas